Sigam-me!!

Sigam-me!!

Sigam-me

quinta-feira, 29 de março de 2018

Cadastre o CPF no site do IPSM

Senhores Coordenadores,  levo aos Senhores um alerta para ser retransmitido em suas regiões. A partir de 30 de maio, que não cadastrar corretamente o CPF pelo site do IPSM terão todos os benefícios cortados. É melhor reorientar do que o stress do beneficiário junto aos Senhores.

Orientacoes do Sr Cel Vinícius, Diretor do IPSM.

Feministas e ONGs de direitos humanos, que exaltaram Marielle, se calam sobre a morte da Soldado Caroline Pletch

Apesar da grande repercussão causada pelo assassinato da policial militar Caroline Pletch, do batalhão de Chapecó, em Santa Catarina, o caso não foi exaltado pelas feministas e por setores ligados aos direitos humanos.

Caroline Pletch estava de férias com seu marido, o também policial militar Marcos Paulo da Cruz, na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte. Estavam jantando em uma pizzaria quando assaltantes chegaram, roubaram os clientes e atiraram em Caroline. Os motivos dos disparos ainda estão sendo investigados.

Imagens feitas por câmeras de vigilância mostram o momento em que dois criminosos fugiram, após atirarem em um casal de policiais militares de Santa Catarina que estava em uma pizzaria na Zona Norte de Natal, na noite desta segunda-feira (26)

Clique aqui para ver


Fonte Jornalivre

quarta-feira, 28 de março de 2018

MORADIAS FUNCIONAIS – CABO JÚLIO COBRA ENVIO DE PL PARA COMPRA DE APARTAMENTOS

http://blogdocabojulio.com.br/wp-content/uploads/2018/03/27-03-2018_Comiss%C3%A3o-de-Seguran%C3%A7a-P%C3%BAblica-CABO-J%C3%9ALIO.mp4?_=1

Corrida pelo voto conservador acaba de ficar mais acirrada

Luis Fux facilitou o voto de policiais militares que estiverem em serviço no dia da eleição

O presidente do TSE Luiz Fux acaba de deixar a disputa pelo voto conservador mais acirrada. Na manhã desta segunda-feira (26), Fux determinou que todos os militares que estiverem em serviço no dia da eleição poderão votar em qualquer zona eleitoral.

Com a decisão, os batalhões têm até o dia 23 de agosto para encaminharem à Justiça Eleitoral os nomes dos agentes que estarão em serviço. O pedido é do deputado federal Major Olímpio (SD-SP).
Isso significa que uma boa parcela de policiais militares que antes não votavam por estarem trabalhando agora poderão ir às urnas — só em São Paulo, estima-se que um quarto de todos os agentes ficam fora das eleições.

Parece pouco, mas não é. Em uma eleição que tem tudo para ser acirrada, cada voto conta. E quem ganha com a decisão de Fux são os candidatos que levantarem a bandeira da segurança pública.

É por essas e outras que a corrida pela parcela conservadora da população está acirrada. Agora, acaba de ficar um pouco mais…

Fonte Veja

PEC para regular prisão de réu condenado em 2ª instância ganha força na Câmara

O deputado Alex Manente (PPS-SP) superou 171 assinaturas necessárias e protocolou proposta; tema foi citado pelo juiz Sérgio Moro durante entrevista ao programa 'Roda Viva'
BRASÍLIA - O deputado Alex Manente (PPS-SP) superou 171 assinaturas necessárias e protocolou nesta terça-feira, 27, a proposta que inclui na Constituição a possibilidade de prisão de réu condenado em segunda instância. A proposta teve o apoio, em sua maioria, de parlamentares do PSDB, DEM, MDB, PSB e PDT, além de aliados tradicionais do governo Michel Temer, como PP, PSD, PTB, PR, e PRB.
Manente conseguiu 190 assinaturas após o juiz federal Sérgio Moro, que conduz a Lava Jato na primeira instância, defender, em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, a aprovação da emenda. Na noite desta segunda-feira, 26, eram 50. As assinaturas terão de ser validadas pela Secretaria-Geral da Mesa. “Isso (o comentário de Moro) deu um impulso nas assinaturas”, disse.

A proposta de emenda à Constituição (PEC) propõe a substituição do artigo da Constituição em que diz que “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória” por “ninguém será considerado culpado até a confirmação de sentença penal condenatória em grau de recurso”. Para Manente, a última possibilidade de reversão de mérito da condenação é a segunda instância, não tribunais superiores.


Em 2016, o Supremo Tribunal Federal decidiu, por 6 votos a 5, a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância, mas o tema pode ser revisto pela Corte.
Argumentos. “Assinei porque acho que a regra é essa. O Supremo rever isso por causa de um caso é ruim. Pouco importa se o Lula vai ser preso ou não”, disse o deputado Júlio Delgado (PSB-MG). “Se precisa mudar a Constituição, é porque a prisão em segunda instância é ilegal”, afirmou o deputado Jorge Solla (PT-BA).

Fonte Estadão

Newton: Pimentel não disputará

Após almoço com governador, emedebista afirmou que ouviu do petista que não tentará a reeleição

Em almoço nesta terça-feira (27), no Palácio das Mangabeiras, o ex-governador, ex-prefeito de Contagem e cacique emedebista Newton Cardoso comunicou ao atual governador de Minas, Fernando Pimentel (PT), que o MDB pretende lançar uma candidatura própria ao Estado e, segundo ele, ouviu do petista que não disputará nenhum cargo nas próximas eleições. O nome do MDB é o do presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Adalclever Lopes, que também participou do encontro na residência oficial.

Como O TEMPO já vem noticiando há algumas semanas, não é de hoje que existe uma articulação do MDB para lançar Adalclever Lopes como candidato ao governo mineiro. A ideia inicial era que Pimentel trocasse o Palácio da Liberdade por uma cadeira no Senado, visto que é uma posição em que o petista teria mais facilidade de se eleger. Em entrevista à rádio Super Notícia 91,7 FM, Newton Cardoso, no entanto, afirma que há a possibilidade de que Pimentel sequer concorra a algum cargo nesta eleição.

“Pimentel não será candidato. Perguntei para ele agora, meia hora atrás. Não será”, contou o ex-governador. Neste cenário, o petista não precisaria renunciar ao cargo. Caso ele decida, de fato, concorrer a uma cadeira no Senado, precisaria se ausentar do comando do Executivo mineiro até o próximo dia 7 de abril, data de fechamento da janela partidária.

Newton Cardoso aproveitou, ainda, para fazer elogios a Adalclever Lopes e à porção mineira do MDB. “Adalclever é uma força nova, é uma flor nova. Uma jovem força mineira, que nasce da liderança. Esse Adalclever é lá de Caratinga, conseguiu ser presidente da Assembleia por unanimidade, por duas vezes. Isso é inteligência. Ele vai ser candidato não só dele, mas de toda essa liderança. Na minha época, eu não tinha ninguém. Eram todos contra mim, eu e Deus”.

Ainda segundo Newton Cardoso, Pimentel não será candidato porque “não é burro”. “Sou amigo do Pimentel, respeito muito, ele não é burro. Ele está quebrado, não tem dinheiro, mas burro não é. Lula também não é, e Lula vai ainda apoiar o Adalclever aqui em Minas, acredito”, disparou.

Na ALMG, já existem comentários de que o grupo político ligado ao deputado federal Patrus Ananias (PT) poderia ceder o candidato a vice-governador na chapa de Adalclever – incluindo a possibilidade de o próprio Patrus assumir essa função.

A diferença é que os deputados apostam que Pimentel vai renunciar ao cargo para tentar alçar outros voos. Em parte do MDB, há a crença de que setores do PT até preferem dialogar com Adalclever do que com o próprio governador Fernando Pimentel.

MDB pacificado. Cardoso também aproveitou para defender o vice-governador Antônio Andrade (MDB), que está rompido com Pimentel desde 2016. Segundo o ex-governador, Andrade, que é presidente do MDB mineiro, é uma pessoa boa e acompanhará a escolha pelo nome de Adalclever.

“O problema do Toninho é com o Pimentel, não tem nada a ver com MDB ou com Adalclever. Ele e o Adalclever se dão muito bem. Inclusive, se encontraram ontem (segunda-feira) na Assembleia”, contou o emedebista, garantindo que não há qualquer tipo de racha no partido que possa inviabilizar a candidatura do presidente da ALMG.

Articulações

“Adalclever reedita minha força do passado. Confia nas bases do MDB. Isso dá voto, não é deputado estadual ou federal que dá voto não, é o MDB, é a nossa capilaridade.”

“Sou amigo do Pimentel, respeito muito, e sei que ele não é burro. Ele está quebrado, não tem dinheiro, mas burro não é. Lula também não é e apoiará Adalclever.”

“Pimentel não será candidato. Perguntei para ele agora, meia hora atrás. Não será”.

Newton Cardoso

Negativa

Sem chance. O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Durval Ângelo (PT), nega qualquer chance de Pimentel não concorrer à reeleição. “Ele vai pro governo e Adalclever tenta o Senado. Na mesma chapa”, diz.


Fonte O Tempo

terça-feira, 27 de março de 2018

TRF4 rejeita por unanimidade embargos de declaração de Lula

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) rejeitou por 3 votos a 0, nesta segunda-feira, 26, o embargo de declaração do ex-presidente Lula contra o acórdão que o condenou a 12 anos e um mês de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso triplex. Com a decisão unânime da Corte de apelação da Operação Lava Jato, o petista poderia ser preso. Lula, no entanto, tem sua liberdade garantida pelo menos até 4 de abril quando o Supremo Tribunal Federal (STF) vai analisar um habeas corpus preventivo.

Na quinta-feira, 22, o Supremo concedeu um salvo-conduto a Lula, impedindo eventual ordem de prisão contra o ex-presidente no caso triplex. O documento só tem validade para este processo.

A sessão do Tribunal da Lava Jato foi aberta por volta das 13h30 e não teve transmissão nem por vídeo e nem por áudio. Votaram os desembargadores João Pedro Gebran Neto, relator, Leandro Paulsen e Victor Laus.

Os magistrados começaram a apreciar o recurso de Lula às 13h50.
O desembargador Gebran Neto, relatou da Lava Jato, leu todos os itens de omissões e obscuridades apontados pela defesa do ex-presidente. O magistrado conheceu em parte os embargos e deu parcial provimento sem conhecer qualquer alteração na sentença. Gebran Neto retificou os pontos que tratam do nome da OAS.

Victor Laus e Leandro Paulsen acompanharam na íntegra o voto de Gebran Neto.

Os advogados do petista entregaram o embargo de declaração no dia 20 de fevereiro. Por meio do recurso, sua defesa questiona ‘obscuridades e omissões’ no acórdão do TRF-4 que impôs ao ex-presidente a pena de prisão em 24 de janeiro.

Na primeira instância, o ex-presidente havia sido condenado pelo juiz Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão.

Após a publicação do acórdão do embargo de declaração, a defesa pode, em até 12 dias, entrar com outro embargo de declaração relativo ao recurso anterior. Este novo embargo também é analisado pelos desembargadores.

A defesa de Lula tem direito ainda a entrar com Recurso Especial perante o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e com Recurso Extraordinário no Supremo Tribunal Federal.

Esses recursos devem ser apresentados simultaneamente e não têm efeito suspensivo.

Os advogados podem, no entanto, pedir a suspensão do envio do cumprimento da medida para Curitiba, base da Lava Jato, enquanto as Cortes em Brasília não julgarem os pedidos.

Fonte: Estadão

Terceiro suspeito de envolvimento na morte do sargento Gilmar de Uberaba foi capturado na tarde de 26/03.

Um jovem de 21 anos foi preso nesta segunda-feira (26) suspeito de envolvimento no assassinato do sargento Gilmar de Oliveira, em Uberaba. Em entrevista coletiva, o comandante da 5ª Região de Polícia Militar (RPM), coronel Lupércio Peres, e o delegado-chefe do 5º Departamento de Polícia Civil, Heli Andrade, contaram que o rapaz estava com uma arma no Bairro Vila Arquelau.

"Ele tem ligação direta com demais integrantes que já foram identificados como os responsáveis pela morte do sargento Gilmar. Tem vários crimes que ligam ele ao assassinato. Temos outros suspeitos em investigação em parceria com a Polícia Civil", explicou o coronel.

Ainda de acordo com o comandante, o jovem, que reside no Bairro Jardim Alvorada, tem várias passagens por roubo, receptação, corrupção de menores e uso de drogas. Outros dois suspeitos morreram em troca de tiros na semana passada.
Morte do policial
Gilmar morreu após ser baleado por ladrões no km 183 da BR-050, nas proximidades do Bairro Jardim Alvorada, no último dia 21 de março. Ele estava voltando de Barretos (SP), onde fazia um tratamento para curar um câncer.

O sargento e um colega, que também é policial, seguiam de carro pela rodovia quando os pneus do veículo furaram por causa de objetos cortantes na pista. Ao descerem do carro no acostamento, os militares foram surpreendidos por ladrões que saíram de um matagal às margens da pista e anunciaram o assalto.
Em seguida o militar foi atingido com um tiro na cabeça. O cabo não se feriu. Os criminosos fugiram rapidamente, levando uma arma do sargento.

Luta contra o câncer
Em 2016, o MGTV exibiu uma reportagem contando que uma campanha foi criada nas redes sociais para ajudar no tratamento do sargento Gilmar, que tinha Mieloma múltiplo, um tipo de câncer de medula. A doença foi descoberta em 2012, num estágio avançado.
Fonte G1

Abordagem: Uma realidade desconhecida, mas muito criticada pelos que desconhecem a Polícia e os policiais. REGRAS PARA UMA ABORDAGEM LEGAL E RÁPIDA.

Abordagem: Uma realidade desconhecida, mas muito criticada pelos que desconhecem a Polícia e os policiais.


REGRAS PARA UMA ABORDAGEM LEGAL E RÁPIDA.

1. O policial não aborda o cidadão para irritá-lo ou incomodá-lo, mas por que o serviço exige ações preventivas e, uma delas é a abordagem prevista na lei. Então, quanto mais houver incompreensão, mais tempo vai demorar a abordagem.

2. Para quem quer evitar e acabar logo com o incômodo pessoal, mas legal: basta colaborar e atender as ordens legais do policial.

3. É nossa obrigação legal fiscalizar o trânsito. Mas a prioridade da atividade policial, é a prevenção do crime.

3.1. Quem prioriza o trânsito são os agentes de trânsito. Assim, quando for parado numa blitz ou operação policial, espere que o policial lhe esclareça sobre quais procedimentos deverá adotar.

3.2. Pois, primeiro normalmente verifica-se, se você está portando armas ou drogas, após quem você é e sobre seu veículo.

4. Apesar de as infrações de trânsito serem também ações de competência da polícia e, que veículos podem estar sendo conduzidos por criminosos. Quando for parado, não se irrite, pois pode ser que seu veículo esteja sendo recuperado de um roubo/furto, ou estaremos tirando das ruas mais um criminoso.

5. Em se tratando de casal: Quando for determinado ao homem que se poste para abordagem, sua companheira deverá acatar a determinação de permancer no lugar que lhe for indicado, evitando tumulto e conflito durante a abordagem, o que tornará mais rápido sua conclusão.

6. O uso de drogas, ainda que venha sendo defendido sua legalização, ainda é crime, por se tratar de droga ilícita, e usá-la ainda não está permitido. Então não reclame, se vier a ser conduzido pelo uso.

7. Sempre ouve-se: VAI PRENDER BANDIDO. A atividade policial, tem como prioridade a prisão de criminosos, mas afrontar os policiais que estão cumprindo suas funções, não colaborará em nada, e menos ainda com a prevenção, exceto se for denunciado.

8. Os crimes conhecidos por seqüestro relâmpago, pode ocorrer com qualquer um. E As características do crime, normalmente, inclui um maior número de ocupantes no veículo, daí a necessidade de abordagem, com a cooperação e compreensão de todos.

9. Identifique-se quando solicitado pelo policial, e não confunda o ato de identificar com a concessão de privilégios, e de impedimento e restrição ao trabalho que está em curso, e que goza de presunção de legalidade.

10. As ordens emanadas pelo policial durante a abordagem, gozam do princípio da auto-executoriedade, ou seja, pode-se parar quem quer que seja e realizar uma busca pessoal, aplicando o poder discricionário, sem a obrigatoriedade de mandado de busca e apreensão, desde que respeitados os direitos e garantias dos cidadãos.

11. O veículo, somente em casos especificos, é considerado "casa", na acepção jurídica do termo, assim a primeira medida na abordagem será a busca em seu interior, que deve ser acompanhada pelo condutor ou responsável e testemunhas, salvo sua absoluta impossibilidade.

12. Mantenha-se calmo e tranquilo durante a abordagem! Qualquer reclamação ou denuncia, poderá ser feita no momento certo e no órgão competente, pois é um direito do cidadão, e mesmo do policial, quando se sente ofendido ou injustamente agredido na ocorrência, mas agirá sempre respeitando e cumprindo a lei.

13. Outros dados e informações podem ser solicitados pelo policial, para confirmar fatos, ou simplesmente para esclarecer situações ou conferir a identificação dos cidadãos, mas espere que seja solicitado.

14. Para o policial, não interessa a condição social, a cor, o credo religioso, a profissão ou cargo que ocupa o cidadão, salvo para assegurar a aplicação da lei e de garantias inerentes a determinados cidadãos, que usufruem e gozam de prerrogativas legais e funcionais.

A Polícia é o órgão estatal encarregado de aplicação da lei, e seus integrantes são seres humanos como qualquer outro, sujeito a erros e acertos, e cumpre seus deveres com dedicação e empenho, mesmo que para isto tenha que sacrificar sua vida para proteger e servir os cidadãos.

*Artigo Adaptado do original.

*Presidente da Associação Mineira de Defesa e Promoção da Cidadania e Dignidade, ativista de direitos e garantias fundamentais.

Fonte Blog Política, Cidadania e Dignidade
Postado por Alessandro Gonçalves Guim

Demonstrativo 03/2018 já está disponível na intranet!

A assassina e esposa do Cabo André de Valadares. Acaba de ser presa por Militares do 18

Que queime no inferno
Relembre: Sobre a morte do Cabo André de Valadares. Que foi covardemente assassinado pela esposa, com um tiro no ouvido enquanto dormia. Ela foi condenada a 15 anos e dois meses de prisão em regime fechado, e está foragida.

Fonte Blog da Renata

sexta-feira, 23 de março de 2018

Com Anastásia pré-candidato, Pimentel volta a cogitar Senado

Petista pode renunciar ao governo e disputar outro cargo majoritário para manter o foro privilegiado
As recentes mudanças no panorama eleitoral de Minas, como a entrada do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) na disputa para o governo de Minas em outubro, teriam alterado, também, o planejamento do atual governador, Fernando Pimentel (PT). Segundo interlocutores ligados às negociações partidárias, a possibilidade de o petista renunciar ao comando do Estado para, em outubro, concorrer a uma cadeira no Senado voltou a ganhar força. O Aparte adiantou esse cenário, em janeiro, mas o rumor voltou à tona nos últimos dias. O vice-governador Antônio Andrade (MDB), desafeto de Pimentel, também renunciaria ao cargo para tentar uma vaga na Câmara Federal.

Os dois chefes do Executivo mineiro teriam a mesma motivação para renunciar: a possibilidade de concorrer a um cargo com maior chance de êxito nas eleições. Na avaliação interna, tanto Pimentel quanto Andrade necessitam do foro privilegiado garantido por lei aos mandatos políticos por conta das investigações em que são alvos.

“A grande intenção do Toninho Andrade era, na verdade, tentar o Senado. Mas, a partir de ruptura com o Pimentel, ele não confia no PT e teme que, em caso de uma candidatura com alvos maiores, o partido tentaria prejudica-lo”, diz um emedebista envolvido no processo de definição de chapa.

Nesse cenário, já estudado por lideranças mineiras desde o fim de 2017, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) precisaria convocar uma eleição indireta, onde os próprios deputados estaduais escolheriam o novo chefe do Executivo. No plano de Pimentel, o presidente da Assembleia, Adalclever Lopes (MDB) seria o escolhido pelos pares. Lopes concluiria o mandato e tentaria a reeleição.

Apesar de ter ganhado força nos últimos dias, o cenário ainda não é definitivo. Pimentel ainda teria dúvidas sobre a manobra. Caso o governador resolva realmente disputar a reeleição ao governo, o acordo que vem sendo costurado entre os partidos é de que Lopes seguiria como um dos candidatos ao Senado apoiados pelo PT. Outro nome emedebista que pode figurar como candidato à Casa superior é Felipe Piló, vice-presidente da Empresa Mineira de Comunicação (EMC).

“O Adalclever é uma figura de confiança do Pimentel, ele se mostrou um cara sério e leal durante todo o momento enquanto presidente da ALMG”, relata, em anonimato, um parlamentar que também vê no presidente do Legislativo uma vantagem. “Essa eleição é uma grande disputa pela garantia do foro privilegiado, está todo mundo doido com isso. O Adalclever não, ele não tem problemas na Justiça. Ou seja, em caso de derrota, não seria uma questão de vida e morte”, analisa o parlamentar.

Rompido com Pimentel desde 2016, Andrade seria peça fundamental para que o cenário se concretizasse. No entanto, há questionamentos se ele realmente renunciaria ao cargo mesmo temendo a perda do foro privilegiado.

Pela legislação eleitoral, Andrade não necessitaria renunciar ao cargo de vice-governador para se candidatar à Câmara Federal, desde que não assuma a função de governador seis meses antes da eleição. Caso assumisse o governo, o vice poderia disputar uma arriscada reeleição.

Na mira. Fernando Pimentel é denunciado por irregularidades investigadas na operação Acrônimo, da PF, enquanto Antônio Andrade foi citado por delatores da operação Lava Jato.

“Esse é um cenário impossível de acontecer”, diz líder

Questionado sobre a possibilidade de Fernando Pimentel renunciar e disputar o Senado, o líder do governo na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Durval Ângelo (PT), negou veementemente.

“Esse é um cenário de pintura surrealista, uma coisa impossível de acontecer. O governador sabe muito bem que tem que ser candidato à reeleição. E uma disputa com Anastasia seria a melhor coisa para o Pimentel, visto que Anastasia terá que se explicar tanto, por que ele não é um clone do Aécio, que perderá tanto tempo explicando Aécio que não conseguirá apresentar propostas”, argumenta o petista.

Durval Ângelo cita que, nesse cenário, não haveria garantias de que Andrade renunciaria após Pimentel. “Quem garante que ele sairia depois? Não há conversas sobre isso”, afirma, antes de concluir alfinetando o PSDB: “Essas conversas são vazadas do partido das viúvas do Aécio, que estão com medo de perder novamente. E vão perder com diferença maior do que foi na eleição de 2014”.

A assessoria de imprensa do vice-governador Antônio Andrade também negou a possibilidade de renúncia do cargo. Em nota, a equipe do emedebista também afirmou que Andrade não se preocupa em garantir foro privilegiado, uma vez que “não há sequer uma denúncia envolvendo seu nome durante os 29 anos de vida pública, sempre pautada pela transparência e pela lisura”.


SAÍDA DARIA CHANCE A PRIMEIRA-DAMA
Casal em campanha. A primeira-dama de Minas, Carolina Pimentel, também tem dado sinais de que pode aparecer nas urnas, já que tem viajado mais pelo interior do Estado e comparecido com mais frequência em cerimônias oficiais. Ela é colocada por vários interlocutores como pré-candidata a deputada federal pelo PT. A intenção da candidatura também seria a busca pelo foro privilegiado, uma vez que também é investigada pela operação Acrônimo, da Polícia Federal.

Exigência. Conforme legislação federal, para que a primeira-dama possa disputar um cargo na Câmara dos Deputados, Pimentel teria que, de fato, renunciar ao cargo de governador do Estado.


Piló espera concorrer ao Senado
Em conversa com a reportagem, o vice-presidente da Empresa Mineira de Comunicação (EMC), Felipe Piló, que ainda articula uma candidatura para o Senado pelo MDB, disse desconhecer o atual cenário envolvendo o governador Fernando Pimentel (PT) e o presidente da ALMG, Adalclever Lopes (MDB).

“Continuo com a intenção de me candidatar ao Senado, até por acreditar que a população busca nomes jovens para essa disputa”, conta. Caso a sigla decida por lançá-lo, Piló precisa deixar a função na EMC até o próximo dia 7 de abril.

O Tempo

Pagamento já está em Conta


quinta-feira, 22 de março de 2018

Por candidatura de Anastasia, siglas esfriam negociações com outros nomes

Partidos que estiveram nas gestões tucanas e flertavam com Pacheco e Lacerda aguardam definição

A chegada do senador Antonio Anastasia (PSDB) para a disputa ao governo de Minas Gerais nas eleições deste ano embaralhou alianças políticas que estavam sendo construídas por outros dois nomes do pleito: o deputado federal Rodrigo Pacheco (DEM) e o ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda (PSB). Os três concorrentes ao comando do Estado negociam com siglas que fazem parte do campo de oposição ao governador Fernando Pimentel (PT).

Entre as legendas cobiçadas o tom é de cautela. Por mais que a maioria delas esteja predisposta a fechar um acordo com Anastasia, a falta de uma oficialização da candidatura por parte do tucano leva os caciques a não abortar as negociações com os outros nomes. Somam-se a isso outros dois fatores: a forma como o senador Aécio Neves (PSDB) pode atrapalhar aqueles que se vinculam a ele e a dúvida sobre se a chapa proporcional vai beneficiar todas as agremiações.

No PSD já era dado como certo que seria construída uma chapa com Lacerda, indicando um vice. Mas uma jogada da cúpula nacional da legenda, encabeçada pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab, bagunçou o tabuleiro. Nos bastidores, a versão é que ele fechou com o PSDB de designar o nome do deputado federal Marcos Montes para vice da chapa tucana.

Com a ida de Anastasia para a disputa, Alexandre Silveira, do PSD, é quem assume a cadeira dele no Senado. “É muito preliminar tomar essa decisão. Dos deputados do partido, somente Montes quer se juntar a Anastasia. Infelizmente, essa escolha é feita nacionalmente, mas o momento é de espera”, queixou-se um correligionário. Aliados de Pimentel também estavam conversando com dirigentes da sigla, mas as negociações não avançaram.

Pacheco, na segunda-feira (19), disse que Avante, PMB, PEN e PP demonstraram apoio a sua pré-candidatura. Pessoas próximas do democrata afirmam que ele também tenta atrair PR e PPS. Mas a avaliação de interlocutores é que este último partido vai caminhar com Anastasia, principalmente por causa da ida do ex-governador Alberto Pinto Coelho para a sigla. É dito ainda que o PTB, cujas lideranças negociam com o ex-prefeito da capital, também se colocou à disposição de Anastasia.

A chegada do parlamentar fez com que o PSDB retomasse o papel de protagonista no processo eleitoral, e há quem diga que isso pode isolar os nomes de Lacerda e Pacheco, forçando-os a desistir do pleito. Publicamente, os dois negaram essa possibilidade, e aliados de ambos dizem que as articulações com todas as agremiações continuam.

A avaliação de caciques de siglas cobiçadas, no entanto, é que ninguém vai se retirar da eleição até que Anastasia volte de uma viagem internacional, no início de abril, e diga publicamente aos mineiros que será candidato. “Estamos esperando ele bater o martelo, e creio que essa também é a avaliação dos outros candidatos, principalmente Pacheco”, disse uma fonte do PTB.


“Vamos construir uma unidade”
O presidente do PSDB em Minas, o deputado federal Domingos Sávio, disse nesta terça (20) que o senador Antonio Anastasia ainda não disse publicamente que vai ser candidato ao Palácio da Liberdade porque quer conversar com todos os aliados: “Ele quer fazer uma grande aliança para ganhar e dar sustentação à candidatura ao governo”.

Segundo o tucano, na terça-feira ele almoçou com Anastasia e o presidente estadual do DEM, Carlos Melles. “Eu e o senador saímos com a impressão de que vamos construir uma unidade. E que os partidos estão ansiosos para se ter novamente essa aliança”, declarou.

O presidente do PSDB também afirmou que o pleito poderá ter dois candidatos do mesmo campo, de oposição a Fernando Pimentel (PT), mas que estarão unidos no segundo turno. Ele ainda disse que conversas com todas as siglas estão em andamento, inclusive com aquelas que em Minas são próximas do petista, como PSD e PV.

Resposta

Apoio. Por meio de nota, a assessoria de Anastasia disse que, se a candidatura dele se confirmar, em momento oportuno, as siglas que integrarem o arco de apoio vão sugerir a composição da chapa.

Lacerda

Articulações. Uma fonte próxima do ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda (PSB) disse que ele está tranquilo em relação à formação da chapa ao governo de Minas. Hoje, PRTB e PDT já estariam com ele. Além disso, estão sendo mantidas conversas com PSD e PTB, que estão propensos a se juntar ao senador Antonio Anastasia.

Planalto. O PDT também é sondado pelos petistas. Mas aliados de Lacerda afirmam que o presidenciável da legenda, o ex-governador do Ceará Ciro Gomes, já garantiu que vai caminhar com o ex-prefeito. O presidente estadual do PDT, o deputado federal Mário Heringer, disse que a sigla conversa com o socialista, mas que não há nada definido. “O nosso principal objetivo é apoiar um nome que dê apoio ao Ciro”, explicou.

Fonte O Tempo

Por que eu não pude voltar pra casa?

Porque mesmo cumprindo o meu dever de Policial Militar com eficiência;
Agindo dentro da legalidade;
Interferindo em ocorrências policiais de forma imparcial;
Fazendo valer a justiça;
Orientando a quem deveria orientar;
Fazendo cumprir a lei;
Dando aos justos a paz;
Devolvendo àquela criança o sorriso, que ao me ver, brotou de seu rosto instantânea e verdadeiramente;
Sendo pra essa criança o herói que ela enxergou em minha alma;
Sendo o amparo para aquele desamparado;
Ouvindo quem precisava somente de ser ouvido;
Estando onde qualquer pessoa comum não estaria para defender o desconhecido;
Sendo por alguns momentos a sensação de paz daquela comunidade ameaçada pelo crime;
Sendo parte de toda uma legislação;
Exercendo meu dever de manutenção da Ordem Pública,
Cumprindo rigorosamente o que a Constituição Federal determina;
Promovendo e Garantindo os Direitos Humanos;
Hoje não foi possível.
Pois bem.
Assim fiz por tantos anos...
Dei esperança a quem já tinha desistido;
Fui educador;
Esperei ansiosamente o momento de voltar pra casa para cuidar da minha família;
Esperei ansiosamente para estar com meus filhos, irmãos, pais e amigos em meus momentos de folga;
Esperei por poder chegar em casa e me jogar nos braços das pessoas que sempre amei e que sempre me amaram;
Os dias se passaram, o ciclo se repetiu incontáveis vezes;
E hoje eu não pude voltar pra casa.
Não voltei pra casa por que falharam comigo.
Falharam comigo e mais uma série de pessoas como eu, vários companheiros e guerreiros que lutam diariamente por justiça.
Sobrevivi apenas até o momento em que a esperança de paz e de justiça ainda existiam.
Sobrevivi até quando Deus permitiu, me protegendo;
Sobrevivi sendo sempre justo comigo e meus companheiros.
Sobrevivi tendo excelentes motivos para voltar pra casa.
Mesmo diante de tudo o que me foi colocado à prova, eu sobrevivi.
Hoje foi preciso mudar de estágio.
Hoje foi preciso que eu saísse desse plano para auxiliar Deus em sua jornada diária;
Hoje estou me unindo a tantos outros guerreiros que deixaram a Terra para se juntar a Deus.
Hoje deixo o meu legado aos Homens de Boa Vontade.

Welkyer Murillo dos Reis
( referência: Porque eu Deveria Voltar pra Casa? Do mesmo autor)

Presos dois suspeitos do assassinato de sargento em Uberaba

Homens que estariam envolvidos no crime foram baleados em troca de tiros. Militar que lutava pela vida contra um câncer foi alvo de ataque de bandidos em rodovia no Triângulo Mineiro
Dois suspeitos de assassinar o sargento da Polícia Militar Gilmar de Oliveira, de 51 anos, em Uberaba, no Triângulo Mineiro, foram presos na noite desta quarta-feira. De acordo com informações iniciais, eles foram feridos em troca de tiros. Uma arma de fogo que seria do sargento morto foi encontrada com a dupla.

Gilmar, que estava afastado para tratar de um câncer, morreu depois de atingido por um tiro na cabeça ao reagir a um assalto na BR-050, em Uberaba. Ele retornava de São Paulo com outro militar, depois de fazer exames para cuidar da doença.

De acordo com a corporação, na madrugada desta quarta-feira, o sargento viajava junto com um colega de farda, quando na altura do Bairro Alvorada, o carro em que estavam foi atingido por tiros.
Os policiais desceram do veículo e atiraram contra dois homens armados. Na troca de tiros, Gilmar foi baleado na cabeça e socorrido no Hospital das Clínicas por uma viatura da corporação que estava na região. Mas morreu durante o atendimento médico. O outro militar escapou ileso.

Fonte Em.com.br

quarta-feira, 21 de março de 2018

Juízes ganham R$ 211 milhões com 'auxílios' atrasados

Tribunais e associações de juízes estaduais e federais defendem a legalidade dos pagamentos retroativos à categoria
Auxílio-moradia, auxílio-alimentação e auxílio-saúde não são os únicos itens a chamar a atenção nos contracheques dos juízes brasileiros. Quase 7 mil deles receberam em dezembro um total de R$ 211 milhões em pagamentos retroativos de benefícios e indenizações – uma média de R$ 30 mil por magistrado.

Isso significa que, no fim de 2017, cerca de 30% dos juízes federais e estaduais do País tiveram os vencimentos engordados por algum “penduricalho do passado”, com juros e correção monetária. Muitos deles foram contemplados graças ao auxílio-moradia que os deputados federais recebiam entre 1992 e 1998.
Mas como o auxílio-moradia pago pela Câmara dos Deputados há mais de duas décadas pode ter impacto agora na folha salarial do Judiciário? A explicação envolve uma batalha por equiparação de privilégios, na qual a balança da Justiça pendeu para o lado dos juízes em diversas ocasiões, gerando um passivo no orçamento dos tribunais que até hoje é pago de forma parcelada.
Tudo começou em 1992, quando o Judiciário instituiu o pagamento da Parcela Autônoma de Equivalência – um bônus – para que ministros de tribunais superiores recebessem salário igual ao de deputados, com base na premissa constitucional de que deve haver paridade de remuneração entre membros de distintos poderes. Isso gerou um efeito cascata com impacto no contracheque de quase todo juiz.

Mas os parlamentares recebiam na época, além do salário, auxílio-moradia, mesmo sem precisar comprovar gastos com aluguel. Isso foi entendido como remuneração indireta, o que abriu brecha para magistrados exigirem nova equiparação, levando em conta o adicional de moradia. O Supremo Tribunal Federal (STF) acolheu a reivindicação em 2000: decidiu que os juízes federais deveriam receber, além do salário, o valor que os deputados embolsavam como auxílio-moradia. Na época, isso equivalia a R$ 3 mil (R$ 9,2 mil em valores atualizados).

Em seguida, associações de magistrados reivindicaram o pagamento retroativo, referente ao período em que os deputados receberam auxílio-moradia e os juízes, não. Tiveram ganho de causa: uma bolada equivalente a cinco anos do benefício. O efeito cascata teve continuidade quando o mesmo direito foi estendido a magistrados aposentados.

A novela não acabou aí. Associações de juízes exigiram depois o recálculo da chamada Parcela Autônoma de Equivalência referente a janeiro de 1998 a setembro de 1999, com direito a juros e correção monetária. Mais uma vez obtiveram decisão favorável, gerando novos rombos contábeis nos tribunais – sempre cobertos com suplementações orçamentárias.
BOLA DE NEVE

A bola de neve gerada pela concessão do auxílio-moradia a parlamentares na década de 1990 está rolando até hoje. O Estado perguntou a 32 tribunais qual o motivo dos pagamentos retroativos na folha salarial de dezembro. Desembolsos referentes à Parcela Autônoma de Equivalência, bem como correção monetária e juros sobre ela, foram citados por 14 deles.

Outros tribunais citaram o pagamento do que consideram uma “dívida” da época em que muitos juízes ficaram sem receber auxílio-moradia, por causa da controvérsia sobre a legalidade do benefício.

Como o ministro Luiz Fux, do STF, liberou o pagamento do auxílio a praticamente toda a magistratura em 2014, tribunais decidiram pagar retroativamente o benefício, por considerar que houve prejuízo a quem não recebeu na tramitação do processo.

Foram citadas ainda quitações retroativas de itens como gratificação por acúmulo de jurisdição, adicional por tempo de serviço, diferença de proventos e pensões e verbas rescisórias de instituidor de pensão, entre outros. O maior pagamento individual, de R$ 8,2 milhões, foi feito pelo Tribunal Regional do Trabalho do Ceará. Refere-se a concessão de pensão vitalícia a uma servidora com efeitos a contar de março de 1993 – só de juros e correção, o montante foi de R$ 6,6 milhões.


Fonte Estadão

Concurso Polícia Civil 2018: Banca Organizadora Já foi contratada

Após o Estado de São Paulo contratar a Vunesp como banca organizadora para o Concurso Polícia Civil 2018, tornou-se real o que antes era apenas expectativa para o certame da polícia civil de são Paulo.

De acordo com os dados projetados no ano passado, são 2.750 vagas autorizadas pelo governado do estado de São Paulo, Geraldo Alcmin, para diversos cargos da polícia Civil do referido estado.
Conforme o projeto base de seleção, as 2.750 vagas foram distribuídas nos seguintes cargos com suas respectivas remunerações. Cabe ressaltar que, as referidos salários são baseados no ano de 2015, ou seja, assim que o edital for publicado, os valores poderão poderá sofrer variações para a mais.

O maior número de vagas será para o cargo de Escrivão de Polícia que, contará com 800 vagas e tem por exigência o Ensino Superior completo no momento da convocação.  Logo em seguida vem o cargo de Investigador com 600 vagas e também exigência do ensino superior. Para ambos os cargos a remuneração está prevista em R$ 3.599,98.

Com uma remuneração prevista em R$  2.793,60 os cargos de Agente de Polícia e Auxiliar de Papiloscopista dispõem de 600 vagas, sendo 400 para o Agente de Polícia e 200 para o Auxiliar de Papiloscopista. Ambos os cargos exigem o ensino médio completo.

Já para os cargos de Agente de Telecomunicações e Papiloscopista serão 500 vagas, sendo 200 para este e 300 para aquele. Esses cargos também são para candidatos com ensino médio completo.

Por fim, aos interessados no cargo de Delegado de Polícia, o salário previsto inicialmente é no valor aproximado de R$ 10.124,55. Para concorrer a este cargo, os candidatos devem ter o nível superior completo (Bacharel em Direito), no momento da convocação.


Como estudar para o Concurso Polícia Civil-SP
Para ter uma excelente preparação para um concurso de tamanha concorrência como este, o candidato deve iniciar os estudos imediatamente, pois, o quanto antes poder se preparar, melhor. Para obter êxito neste certame, dedique um tempo exclusivo aos estudos diariamente. Crie um cronograma com cada disciplina a ser estudada por dia e procure seguir o roteiro.

Acompanhe as informações para o Concurso Polícia Civil-SP
Para ser informado assim que o edital for publicado, basta permitir nossas notificações e enviaremos tudo sobre o Concurso Polícia Civil-SP 2018.

Fonte A Folha hoje

O problema é o guarda da esquina

"Quando se abre a porteira para o Estado de Exceção, todos os demônios saem das trevas. Mas o problema também é o guarda da esquina", diz Célio Turino em artigo sobre a condução à delegacia do dono do bar Bip Bip, no Rio de Janeiro, após uma homenagem à Marielle Franco
13 de dezembro de 1968. Uma única voz no governo militar se levanta contra o Ato Institucional n. 5, AI-5, Pedro Aleixo, vice-presidente civil do general Costa e Silva. Antes da votação no conselho de ministros, ele alerta: “Presidente, o problema de uma lei assim não é o senhor, nem os que com o senhor governam o país; o problema é o guarda da esquina”. Sob o argumento de combater a subversão e a corrupção, o AI-5 institui o Estado de Exceção no Brasil, lançando o país na mais longa noite de terror, que durou dez anos. Como medidas previstas:

– Possibilidade de o Executivo legislar por Decreto-Lei;
– Poder ao presidente da república para decretar intervenção nos estados e municípios, sem limitações constitucionais;

– Suspensão dos direitos políticos de qualquer cidadão brasileiro pelo período de dez anos;

– Proibição de atos e manifestações de caráter político;

– Censura prévia para jornais, revistas, livros, peças de teatro, cinema e músicas;
– Poder ao presidente da república para cassar mandatos parlamentares em todos os níveis;

– Confisco de Bens em casos de corrupção;

– Suspenção do Habeas Corpus e dos direitos individuais.

Mesmo assim, Pedro Aleixo seguiu no governo ditatorial, até ser afastado do cargo de vice-presidente quando da morte de Costa e Silva, em 31 de agosto de 1969, tendo seu mandato sido declarado extinto em 6 de outubro de 1969, com o AI-12, em apenas 10 meses sete atos de exceção haviam sido decretados. O resultado daqueles “anos de chumbo”, a história já relata: assassinatos de opositores políticos, torturas, exílios, banimentos. E corrupção correndo solta, só que desta vez, com a imprensa e os órgãos de Estado impedidos de denunciar e tomarem providências.

Apenas para rememorar os casos de corrupção sob o Regime Militar:

– Contrabando na Polícia do Exército (2 Batalhão da Polícia do Exército do Rio de Janeiro), comandado pelo capitão Ailton Guimarães, depois um conhecido “bicheiro” na cidade do Rio de Janeiro, em que pelotões do exército eram usados para escoltar e intermediar crimes;

– Corrupção e sequestros para financiar o “Esquadrão da Morte”, no combate à oposição operária e de esquerda, comandado pelo delegado paulista Sérgio Paranhos Fleury;

– Extorsões e corrupções praticadas pelos governadores biônicos, como o governador no Paraná, Haroldo Leon Peres, o ‘ladrão de Maringá’ e Paulo Maluf, entre outros; o caso Lutfala, também envolvendo Paulo Maluf, com financiamentos pelo BNDES;

– Corrupções na construção das grandes hidrelétricas, Tucuruí no Pará, Itaipu Binacional, entre outras, e que estão na gênese da formação das megaempreiteiras com modelagem de negócio baseada na corrupção, como agora se revela nos casos da Lava-Jato;

– Recebimento de propina em negócios com multinacionais, como venda de locomotivas da General Electric para a Rede Ferroviária Federal, Down Química, etc, etc.

– Caso ‘Coroa-Brastel’; o “escândalo da Mandioca”; Grupo Delfin, de caderneta de poupança e crédito imobiliário; caso Capemi, administrado por militares, cujos desvios foram registrados no dossiê Baumgarten, com seu autor, jornalista Alexandre Von Baumgarten, colaborador do Serviço Nacional de Informações –SNI- vindo a ser assassinado em 1982;

– Mordomias do regime militar, em que ministros chegavam a contar com 28 empregados domésticos, pagos pelo contribuinte; com cabos e sargentos tendo que prestar serviços domésticos a oficiais militares e com generais recebendo US$ 27 mil (R$ 90 mil em valores atuais) para custearem mudança de endereço para Brasília, além de receberem casa decorada, com um mínimo de 3 empregados pagos, casas de veraneio, um mínimo de dois carros oficiais por general, voos exclusivos em jatos da Força Aérea, entre outras mordomias e prebendas.

Enfim, as arbitrariedades e problemas gerados pela Ditadura Militar não foram apenas aqueles criados pelos guardas de esquina. Mas ficou a frase emblemática.

19 de março de 2018. Alfredinho, 74 anos de idade, dono de um dos bares mais tradicionais de Copacabana, no Rio de Janeiro, o Bip Bip, é conduzido à Delegacia de Polícia; o motivo: um Policial Rodoviário Federal, em folga, cria confusão no bar por causa de uma homenagem que os frequentadores estavam fazendo para a vereadora executada, Marielle Franco. Foi uma discussão de madrugada em um bar. O policial sai e, vinte minutos depois, volta gritando: “voltei e estou a fim de dar uns tiros”, segundo testemunhas presentes, conforme matéria no jornal Folha de São Paulo. Junto dele, outros policiais rodoviários e uma viatura da Polícia Militar, no que o policial, promotor da confusão, diz: “sou policial rodoviário federal e o dono do bar é meu conduzido!”. Uma noite de arbitrariedade em mais uma cena da noite carioca, só que recheada de abuso de poder, em um estado sob Intervenção Federal. Em nota, a Polícia Federal afirma de pronto: “não há registro de comportamento que configure desvio de conduta funcional representando tão somente atitudes e opiniões pessoais do servidor”. Como se abuso de autoridade não configurasse desvio de conduta funcional.

Sim, quando se abre a porteira para o Estado de Exceção, todos os demônios saem das trevas. Mas o problema também é o guarda da esquina.

Fonte Revista Forum

CANDIDATOS MILITARES MG. PULVERIZAÇÃO DE VOTOS








Fonte Blog da Renata

Sargento da Polícia Militar morre após ser baleado em tentativa de assalto na 050

Sargento da Polícia Militar foi vítima de assaltantes nesta madrugada (21), por volta de 3h, na BR-050, no momento em que retornava a Uberaba após passar por tratamento de saúde em São Paulo. O veículo, um Peugeot branco, era dirigido por cabo militar e o sargento ocupava o lugar do passageiro quando foram abordados pela ação criminosa. Ele recebeu os primeiros socorros de policiais militares e também de guarnição do Corpo de Bombeiros, chegou a ser conduzido ao Hospital de Clínicas da UFTM, mas não resistiu aos ferimentos. Seguem diligências no intuito de localizar os bandidos. Sargento Gilmar Oliveira, de 51 anos, lutava contra um câncer há mais de um ano.

Segundo informações obtidas pela reportagem do JM Online no local do acidente, criminosos fizeram barricada com objetos perfurantes na pista. O carro ocupado por SG Gilmar teve dois pneus furados, o que os obrigou a parar o veículo. Nessa parada, os criminosos já abordaram os militares atirando. Houve troca de tiros. Os criminosos fugiram para um matagal próximo à ocorrência, quando, imediatamente, o Cabo PM acionou o 190 pedindo socorro após encontrar o SG Gilmar baleado na fronte. Ele foi colocado dentro de uma viatura da PM, que foi interceptada por guarnição do Corpo de Bombeiros na avenida Deputado José Marcus Cherem. Segundo informou Tenente BM Geane, lá iniciaram as manobras de salvamento do sargento, na tentativa de reverter a parada cardiorrespiratória, sendo ministrados diversos medicamentos. Ele foi conduzido ao Hospital de Clínicas da UFTM, mas não resistiu aos ferimentos e morreu ainda nos primeiros minutos da manhã desta quarta-feira. O corpo deve ser encaminhado ao Instituto Médico Legal ainda nesta manhã para necropsia. Polícia Militar faz diligências, inclusive com o uso de helicópteros, no intuito de localizar os criminosos.

Fonte JM Online

segunda-feira, 19 de março de 2018

Governo decide cancelar resolução que exigia curso para renovar CNH

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, determinou a revogação da resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que tornava obrigatória a realização e aprovação em curso de aperfeiçoamento para renovação da carteira nacional de habilitação. A revogação ocorrerá na próxima segunda-feira, 19.

A decisão para cancelar a resolução 726/2018 foi encaminhada ao diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e ao presidente do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), Maurício Alves.
Por meio de nota, o Ministério das Cidades informou que “a diretriz da atual gestão da pasta tem por objetivo implementar ações e legislações que atendam às expectativas da população”, mas com o propósito de “reduzir custos e facilitar a vida do brasileiro”.

A obrigação de se realizar cursos não só implicaria em processos burocráticos para o cidadão, mas também como em custos adicionais. “Informa-se que os técnicos do Denatran, do Ministério das Cidades, seguirão na busca de alcançar o objetivo de promover a cada vez mais a segurança dos usuários de trânsito, mas sempre com absoluto foco na simplificação da vida dos brasileiros e na constante busca pela redução de custos de forma a não afetar a rotina dos condutores que precisam renovar suas carteiras de habilitação/CNHs por todo o Brasil”, declarou Baldy.

Nesta sábado, o presidente da Câmara Rodrigo Maia chegou a publicar em redes sociais uma mensagem de que aguardava essa decisão. “Vamos aguardar até a terça-feira para ver se o Contran suspende a resolução que exige curso teórico para a renovação da CNH. Lembrando que a Câmara tem a prerrogativa de aprovar um decreto legislativo sustando o ato”, declarou.

O deputado Daniel Coelho (PSDB/PE) já havia preparado um projeto de decreto legislativo neste fim de semana para pedir a suspensão da resolução. Com a medida do Ministério das Cidades, o ato será desnecessário.

FONTE: O TEMPO

Novos concursos públicos oferecem 16.624 vagas com salários de até R$ 27,5 mil

Procuradoria Geral do Estado de São Paulo (PGE/SP) - Vagas: 100 / Escolaridade: nível superior / Salário: R$ 22.178,43 / Inscrição: de 23/3 até 20/4 / Mais informações aqui

Praia Grande (SP) - Vagas: 39 / Escolaridade: todos os níveis / Salário: R$ 937,67 a R$ 15 mil / Inscrição: até 19/4 / Mais informações aqui

Consórcio Intermunicipal de Saúde da Nova Alta Paulista (Cisnap/SP) - Vagas: 8 / Escolaridade: todos os níveis / Salário: R$ 1.022,79 a R$ 12.366,80  / Inscrição: até 5/4 / Mais informações aqui

Consórcio Intermunicipal do Oeste Paulista (Ciop/SP) - Vagas: 5 / Escolaridade: níveis médio, técnico e superior / Salário: R$ 1.005 até R$ 12 mil / Inscrição: até 1º/4 / Mais informações aqui

Guapó (GO) - Vagas: 861 / Escolaridade: níveis fundamental, médio, técnico e superior / Salário: R$ 954 a R$ 5.898,25 / Inscrição: de 6/4 até 6/5 / Mais informações aqui

Banco do Estado do Pará (Banpará) - Vagas: 119 / Escolaridade: níveis médio e superior / Salário: R$ 2.192,88 a R$ 5.770,90 / Inscrição: até 16/4/ Mais informações aqui

Corumbá (MS) - Vagas: 234 / Escolaridade: níveis médio e superior / Salário: R$ 1.252,07 a R$ 3.789,42  / Inscrição: até 9/4 / Mais informações aqui

Cuiabá (MT) - Vagas: 560 / Escolaridade: níveis fundamental, médio e superior / Salário: R$ 1.200 a R$ 3.500  / Inscrição: até 18/4 / Mais informações aqui

Polícia Militar (SP) - Vagas: 2.700 / Escolaridade: nível médio / Salário: R$ 3.049,41 / Inscrição: de 22/3 até 19/4 / Mais informações aqui

Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ/RJ) - Vagas: 50 / Escolaridade: nível superior / Salário: R$ 26 por ato homologado / Inscrição: até 12/4 / Mais informações aqui

sexta-feira, 16 de março de 2018

Após morte de Marielle, "bancada da bala" defende PM e ataca quem defende bandidos

Membros da chamada "bancada da bala" da Câmara, deputados federais se valeram do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) para sair em defesa da Polícia Militar, cuja atuação no Rio de Janeiro era frequentemente criticada pela parlamentar, e para atacar "gente que defende bandidos".
Marielle foi morta a tiros na noite da última quarta (14), na região central do Rio de Janeiro. O motorista que dirigia o carro em que ela estava, Anderson Gomes, também foi assassinado. A principal linha de investigação da Divisão de Homicídios do Rio aponta para "execução", segundo fontes ouvidas pelo UOL. Os corpos da vereadora e de Anderson foram sepultados na tarde de ontem.
Nesta quinta-feira (15), o deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-RJ), filho do pré-candidato do PSL à Presidência da República Jair Bolsonaro (RJ), usou sua conta no Twitter para defender previamente policiais militares, que segundo ele serão acusados de "executar" a vereadora.
"Vão falar, refalar, bater, repetir tanto que a vereadora foi executada por um PM mesmo sem uma prova concreta disso. Daí quando surgir uma possibilidade qualquer de se ligar o crime a Policial em particular, pronto, ele já estará condenado", afirmou Bolsonaro.
"Mais uma lição: se você morrer seus assassinos serão tratados por suspeitos, salvo se você for do PSOL, aí você coloca a culpa em quem você quiser, inclusive na PM. Eis o verdadeiro preconceito, a hipocrisia. 'Para os meus amigos tudo, aos demais a lei', escreveu o parlamentar, em outra mensagem.
Bolsonaro continuou seu argumento dizendo que a polícia não recruta só brancos. "A minoria de jovens favelados que morre é trocando tiro, assim como Moro só condena quem roubou o povo. Não é uma questão de classe social, etnia, preconceito e sim de mérito: roubou? Vai preso! Atirou para matar? Leva tiro para morrer! O resto é secundário."
O coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Segurança Pública na Câmara, Alberto Fraga (DEM-DF), também pelo Twitter, se referiu ao assassinato da vereadora e do motorista como "mais um ato de covardia". "Ao ser preso, tenham certeza que é um reincidente do crime! E ainda tem gente que defende bandidos!".
Ainda na noite desta quarta, o deputado estadual do Rio Flávio Bolsonaro, também filho do presidenciável, escreveu que, "apesar de profundas divergências políticas", sempre teve "relação respeitosa com ela", e aproveitou para defender que "a impunidade e a legislação penal frouxa seguem estimulando a violência".
A reportagem procurou Jair Bolsonaro, mas sua assessoria informou que ele não iria se manifestar sobre o caso.

Ato na Câmara pede fim da PM

Por outro lado, deputados ligados aos direitos humanos, como Jean Wyllys (PSOL-RJ), disseram que a morte da vereadora não elimina suas ideias.
Amigo da vereadora, Jean Wyllys subiu à tribuna da Câmara vestido de preto e com o rosto inchado. "Aos pedaços", fez um breve discurso em homenagem à parlamentar. "As ideias são à prova de bala", declarou Wyllys.
"Eu perdi uma amiga, com quem eu tomaria café com a namorada dela. Eu perdi uma companheira de luta. Nós estamos aos pedaços, mas a gente vai se juntar e a gente não vai esquecer. As ideias são à prova de bala", afirmou o deputado.
Wyllis aproveitou para entregar ao presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), um pedido de instalação de uma comissão externa da Casa para acompanhar as investigações. "[O crime] não vai ficar impune e nem a memória dela será esquecida".

Maia anunciou que o pedido já foi autorizado e que Wyllys teria todos os instrumentos necessários à sua disposição. Com girassóis nas mãos e punhos cerrados para o alto, servidores e deputados federais fizeram um ato em homenagem a Marielle e ao motorista Anderson Gomes. Atrás de uma faixa preta que dizia "Marielle, presente! Anderson, presente! Transformar luto em luta", o grupo entrou no plenário da Casa, onde foi iniciada uma sessão solene em homenagem às vítimas. A sessão foi interrompida algumas vezes por gritos como "fora a bancada da bala" e "racistas, fascistas, não passarão". Dentro e fora do plenário, ouvia-se apelos pelo "fim da Polícia Militar".

Fonte Uol

Terceira parcela do IPVA 2018 vence a partir de quinta-feira (15/3) . Taxa de Licenciamento vence dia 2 de abril

Proprietários de veículos também devem ficar atentos ao vencimento da Taxa de Licenciamento, que é dia 2 de abril
ícone de compartilhamento
A terceira e última parcela do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) 2018 vence a partir desta quinta-feira (15/3), começando com as placas de finais 1 e 2. A escala segue até a quarta-feira (21/3) da próxima semana, sempre com dois finais de placas por dia. Os proprietários devem ficar atentos também à proximidade do vencimento da Taxa de Renovação do Licenciamento Anual de Veículo (TRLAV) - no valor de R$ 92,66 -, que é 2 de abril.

Como nas parcelas anteriores, o pagamento pode ser feito diretamente nos terminais de autoatendimento ou guichês dos agentes arrecadadores autorizados - Bradesco, Mercantil do Brasil, Caixa Econômica Federal, Casas Lotéricas, Mais BB, Banco Postal, Santander e Sicoob -, bastando informar o número do Renavam do veículo.

Quem preferir, pode emitir a guia de arrecadação do IPVA 2018, no site da Secretaria de Estado de Fazenda, nas Repartições Fazendárias ou nas Unidades de Atendimento Integrado (UAI).

O contribuinte que não pagar o imposto dentro do prazo vai arcar com multa de 0,3% ao dia (até o 30º dia), e de 20% após o 30º dia. Os juros são calculados sobre o valor do imposto ou das parcelas, acrescido da multa, pela taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e Custodia (Selic).

Balanço

Até o dia 28 de fevereiro, foram arrecadados R$ 3,104 bilhões referentes ao IPVA 2018, o que representa 59,3% do total do imposto lançado (R$ 5,235 bilhões). Em 2017, no mesmo período, a arrecadação atingiu 59,4% do total emitido.

Parcelas em atraso

Mesmo quem não pagou a primeira e/ou a segunda parcela deve quitar a terceira na data estabelecida, para não se submeter a multa e juros referentes a esta parcela. As parcelas em atraso também podem ser pagas normalmente, nos agentes arrecadadores.

Os valores serão atualizados automaticamente. Caso opte por retirar a guia, o pagamento deve ser feito no mesmo dia da emissão, já que os juros são calculados diariamente. Vale lembrar que o seguro DPVAT venceu junto da primeira parcela do IPVA.

Servidores públicos

Vale lembrar que os servidores públicos estaduais e pensionistas que tiveram o pagamento do 13º salário de 2017 escalonado em quatro parcelas (19/1, 19/2, 19/3 e 19/4/2018) poderão quitar o IPVA e o Seguro Dpvat até o dia 19 de abril de 2018. A TRLAV, porém, deve ser paga na data válida para todos os contribuintes, que é dia 2 de abril.

Destinação

Do valor arrecadado com o IPVA, 40% vão para o caixa único do Estado, 40% são repassados aos municípios de licenciamento dos veículos e 20% são destinados para o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb).

Fonte Agência Minas Gerais

quarta-feira, 14 de março de 2018

POLICIAIS MILITARES QUE NÃO ESTÃO NO SERVIÇO ATIVO DA PMPA, NÃO TÊM MAIS DIREITO AO PORTE LEGAL DE ARMA DE FOGO, REGISTRADO EM SUA CARTEIRA DE IDENTIFICAÇÃO

É impressionante, lamentável e revoltante a medida que vem sendo adotada pelo setor de identificação da PMPA.
Policiais militares quando passaram a fazer parte do grupo dos inativos (reformados, etc.) Tiveram os seus direitos de portar armas de fogo de uso permitido, pela instituição.
Ou seja, depois de anos de serviços prestados à sociedade, e o consequente aumento do número de ocorrências, que tem como vítimas, agentes de segurança pública,
Não bastasse o caos social que vivem os policiais, ainda não têm o direito de portar arma de fogo, pra defesa pessoal.
As estatísticas mostram que a maioria dos militares mortos, já estavam afastados do serviço ativo.
Entretanto, não é de conhecimento qual é o amparo legal, pra tal decisão.
Vamos compartilhar pra todos os grupos, com a finalidade de que os representantes verifiquem esta situação, inaceitável.

Fonte Blog da Renata

Pagamento em Conta


terça-feira, 13 de março de 2018

Escola de Inglês – novo convênio



O Sgt Robledo esteve nesta manhã (13) em visita à Casa Thomas Jefferson, a mais nova escola de inglês de Uberlândia e região, se reunindo com a Sra. Vanessa Firmino Garcia – Branch Manager e da Sra Monique, para acertar um convênio para os associados da AMT-PMBM.
Inaugurada recentemente, a Casa Thomas Jefferson é a única escola de inglês reconhecida pela embaixada dos Estados Unidos da América, pelo seu grau de qualidade de ensino e métodos aplicados.
A escola atende crianças apartir de 4 anos, com um grande diferencial no aprendizado, além de proporcionar oficinas e espaços de integração, tornando o ambiente mais agradável e propício para um ensino de qualidade, e uma extensão da casa dos alunos.
Em breve estaremos publicando a concretização deste convênio, e as condições especiais para os associados.









segunda-feira, 12 de março de 2018

Concursos públicos oferecem 14.745 vagas com salários de até R$ 30 mil

Os concursos públicos oferecem 14.745vagas em várias regiões do país. Existem oportunidades em diversos cargos, destinadas a candidatos de todos os níveis de escolaridade. As remunerações iniciais podem chegar a R$ 30 mil, dependendo da função desejada.


Principais concursos públicos

Maraã (AM) - Vagas: 1.234 / Escolaridade: todos os níveis / Salário: R$ 954 a R$ 30 mil / Inscrição: até 12/3 / Mais informações aqui Mais informações aqui

Ministério Público do Rio de Janeiro (RJ) - Vagas: 35 / Escolaridade: nível superior / Salário: R$ 27.500,16 / Inscrição: até 6/4 / Mais informações aqui Mais informações aqui

Ministério Público de Minas Gerais (MP/MG) - Vagas: 40 / Escolaridade: nível superior / Salário: R$ 26.125,17 / Inscrição: até 3/4 / Mais informações aqui 

Tribunal de Justiça do Ceará (TJ/CE) - Vagas: 50 / Escolaridade: nível superior / Salário: R$ 26.125,17 / Inscrição: até 20/3 / Mais informações aqui 

Polícia Civil (RS) - Vagas: 100 / Escolaridade: nível superior / Salário: R$ 20.353,06 / Inscrição: até 27/3 / Mais informações aqui

Goianorte (TO) - Vagas: 80 / Escolaridade: níveis fundamental, médio, técnico e superior / Salário: R$ 954 a R$ 13 mil / Inscrição: até 15/4 / Mais informações aqui 

Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (SP) - Vagas: 2 / Escolaridade: níveis médio e superior / Salário: R$ 6.708,53 e R$ 12.742,14 / Inscrição: até 4/4 / Mais informações aqui 

Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) - Vagas: 414 / Escolaridade: níveis médio, técnico e superior / Salário: R$ 1.735 a R$ 12.654 / Inscrição: até 30/4 / Mais informações aqui 

Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) - Vagas: 25 / Escolaridade: níveis médio, técnico e superior / Salário: R$ 2.824,30 a R$ 11.565,24 / Inscrição: até 15/3 / Mais informações aqui 

Polícia Civil (MG) - Vagas: 76 / Escolaridade: nível superior / Salário: R$ 11.475,57 / Inscrição: de 16/4 até 15/5 / Mais informações aqui 

Francisco Morato (SP) - Vagas: 46 / Escolaridade: níveis fundamental, médio, técnico e superior / Salário: R$ 1.387,25 a R$ 11.434,19 / Inscrição: até 23/3 / Mais informações aqui 

Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família (RS) - Vagas: 10 / Escolaridade: nível superior / Salário: R$ 10.528,52 / Inscrição: até 15/3 / Mais informações 

Barra do Turvo (SP) - Vagas: 99 / Escolaridade: níveis fundamental, médio, técnico e superior / Salário: R$ 969 a R$ 10.495 / Inscrição: de 10/4 até 10/5 / Mais informações aqui  

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha (RS) - Vagas: 38 / Escolaridade: níveis fundamental, médio, técnico e superior / Salário: R$ 1.945,07 a R$ 10.043,67 / Inscrição: até 21/3 / Mais informações aqui 

Aurora (CE) - Vagas: 179 / Escolaridade: todos os níveis / Salário: R$ 400 a R$ 10 mil / Inscrição: até 12/3 / Mais informações aqui

Tacaratu (PE) - Vagas: 294 / Escolaridade: níveis fundamental, médio, técnico e superior / Salário: R$ 954 a R$ 10 mil / Inscrição: até 30/4 / Mais informações aqui 

Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia do Mato Grosso (Secitec-MT) - Vagas: 162 / Escolaridade: níveis médio, técnico e superior / Salário: R$ 2.297,17 a R$ 9.907,82 / Inscrição: até 15/3 / Mais informações aqui

Serrana (SP) - Vagas: 133 / Escolaridade: todos os níveis / Salário: R$ 1.224 a R$ 8.811,93 / Inscrição: até 27/3 / Mais informações aqui 

Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) - Vagas: 661 / Escolaridade: níveis fundamental, médio e superior / Salário: R$ 3.058,80 a R$ 8.804,74 / Inscrição: até 26/3 / Mais informações aqui

Lambari (MG) - Vagas: 200 / Escolaridade: níveis fundamental, médio, técnico e superior / Salário: R$ 954 a R$ 6.490 / Inscrição: até 19/3 / Mais informações aqui 

Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) - Vagas: 200 / Escolaridade: níveis médio, técnico e superior / Salário: R$ 3.040,60 a R$ 6.404,64 / Inscrição: até 12/3 / Mais informações aqui 

Polícia Militar (DF) - Vagas: 2.024 / Escolaridade: nível superior / Salário: R$ 4.962,22 a R$ 6.095,41 / Inscrição: até 4/4 / Mais informações aqui 

Bombeiros (MG) - Vagas: 30 / Escolaridade: nível médio / Salário: R$ 5.769,42 / Inscrição: de 9/4 até 9/5 / Mais informações aqui 

Controladoria Geral do Município (CGM) de Niterói (RJ) - Vagas: 30 / Escolaridade: nível superior / Salário: R$ 5.500 / Inscrição: até 12/3 / Mais informações aqui 

Nova Roma (GO) - Vagas: 278 / Escolaridade: todos os níveis / Salário: R$ 954 a R$ 5.039 / Inscrição: até 14/3 / Mais informações aqui 

Caxias (MA) - Vagas: 1.179 / Escolaridade: níveis fundamental, médio, técnico e superior / Salário: R$ 954 a R$ 5.000 / Inscrição: até 30/3 / Mais informações aqui 

Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (PI) - Vagas: 24 / Escolaridade: nível superior / Salário: R$ 4.700 / Inscrição: até 22/3 / Mais informações aqui 

Natal (RN) - Vagas: 1.647 / Escolaridade: níveis médio, técnico e superior / Salário: R$ 998,68 a R$ 4.601,17 / Inscrição: até 9/4 / Mais informações aqui 

Banco da Amazônia (AC, AM, AP, MA, MT, PA, RO, RR e TO) - Vagas: 551 / Escolaridade: níveis médio e superior / Salário: R$ 3.698,55 até R$ 4.147,48 / Inscrição: até 19/3 / Mais informações aqui 

Banco do Brasil (DF, RJ e SP) - Vagas: 60 / Escolaridade: nível médio / Salário: R$ 4.036,56 / Inscrição: até 27/3 / Mais informações aqui 

Pará de Minas (MG) - Vagas: 1.217 / Escolaridade: todos os níveis / Salário: R$ 941,60 a R$ 3.664,66 / Inscrição: até 2/4 / Mais informações aqui 

Aeronáutica (todo o Brasil) - Vagas: 801 / Escolaridade: nível médio / Salário: R$ 3.584 / Inscrição: até 23/3 / Mais informações aqui 

Aeronáutica (todo o Brasil) - Vagas: 227 / Escolaridade: nível médio / Salário: R$ 3.584 / Inscrição: até 12/3 / Mais informações aqui 

Metrô de São Paulo (SP) - Vagas: 8 / Escolaridade: nível médio / Salário: R$ 3.113 / Inscrição: até 12/3 / Mais informações aqui 

João Pessoa (PB) - Vagas: 587 / Escolaridade: níveis médio e superior / Salário: R$ 1.217,67 a R$ 3.101,67 / Inscrição: até 16/3 / Mais informações aqui 

Itaguaru (GO) - Vagas: 278 / Escolaridade: todos os níveis / Salário: R$ 954 a R$ 2.668,44 / Inscrição: de 29/3 até 20/4 / Mais informações aqui 

Santa Maria do Pará (PA) - Vagas: 203 / Escolaridade: todos os níveis / Salário: R$ 954 a R$ 2.144,14 / Inscrição: até 18/3 / Mais informações aqui 

Marinha (todos os Estados) -  Vagas: 1.300 / Escolaridade: nível médio / Salário: R$ 956 (bolsa para curso de fuzileiro naval) / Inscrição: até 30/3 / Mais informações aqui 

Tribunal de Justiça do Ceará (TJ/CE) - Vagas: 223 / Escolaridade: nível superior / Salário: não há; vagas destinadas à prestação de serviços notariais e registrais (cartórios) / Inscrição: até 6/4 / Mais informações aqui 

Fonte Uol

sexta-feira, 9 de março de 2018

Detentos de pelo menos 30 presídios de Minas podem ficar sem comida a partir de sábado

A crise financeira instalada em Minas Gerais promete ter mais um grave capítulo nos próximos dias. Detentos de pelo menos 30 penitenciárias do estado correm o risco de ficar sem comida já a partir deste fim de semana.

Isso porque fornecedores de alimentos estão sem receber do governo há pelo menos quatro meses e alegam não ter mais condições financeiras de cobrir os gastos.

Segundo Gil César dos Santos, superintendente da Falcão Alimentos, todas as pequenas cantinas que fornecem alimentos aos presídios de Minas estão com muitas dificuldades financeiras. Apenas na empresa em que ele trabalha, a dívida já chega a R$ 900 mil.

“O Estado está enrolando a gente desde o começo do governo Pimentel, não faz o pagamento em dia. Nisso, as empresas estão gerando muitas dívidas com agiotas, vendendo patrimônio, carros. A gente não consegue. A sexta-feira (hoje) a gente consegue fornecer a janta, no sábado nem o café da manhã tem como fornecer. Não tem dinheiro mais”, decretou Gil César dos Santos.


Em nota, a Secretaria de Fazenda informou, mais uma vez, que tem se esforçado para cumprir os compromissos firmados em contrato com os fornecedores de alimentos, apesar da crise financeira no estado.

Fonte: Rádio Itatiaia

quinta-feira, 8 de março de 2018

Cabo Júlio se retrata e pede desculpas a deputada Maria do Rosário por chamá-la de 'vaca'

Medida foi determinação do Ministério Público de Minas, após a parlamentar fazer uma representação contra ele. As ofensas ocorreram há dois anos
O deputado Cabo Júlio (MDB) teve, nesta terça-feira, que se retratar no plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) por xingamentos que fez a deputada federal Maria do Rosário (PT) há dois.

No episódio, Júlio chamou a petista de “vaca” ao atribuir a ela comportamento  divulgado em notícia falsa que circulava nas redes sociais. Na fala de hoje ele admitiu que errou e que “não tinha o direito de ofendê-la”.
“Estas desculpas devo à deputada devido ao discurso que proferi neste plenário da Assembleia Legislativa, no dia 09 de novembro de 2016, atingindo com palavras indignas sua pessoa.Confesso que fui induzido a cometer esse erro contra a Deputada por notícias falsas que foram veiculadas prejudicando sua imagem, com pronunciamentos divulgados como se fossem seus”, afirmou.
A medida tomada hoje foi determinada pelo promotor Daniel de Oliveira Marad, após a deputada representar contra Cabo Júlio no Ministério Público de Minas Gerais.

Além de Rosário, Júlio aproveitou o discurso para estender o pedido de desculpas a todas as outras mulheres, especialmente, as que se sentiram ofendidas e reconhecer que a parlamentar, vítima de sua indignação e que causou o destempero, “tem atuação reconhecida na defesa da vida e contra o crime e a violência, inclusive com leis aprovadas”.

Em 14 de setembro do ano passado, o deputado mineiro já havia usado o plenário para pedir desculpas à Maria do Rosário. O pedido aconteceu pouco dias depois de o Ministério Público ter aberto um inquérito para apurar a conduta do parlamentar.

Tudo começou por causa de um assalto em São Paulo, onde um policial militar, que atuava como motorista de Uber , matou dois homens e um adolescente que tentaram assaltá-lo durante a corrida.

A postagem falsamente atribuída dizia que se o PM não tivesse reagido somente uma família teria sofrido. “Hoje temos três famílias chorando em razão desse PM opressor. Caso ele não tivesse reagido, apenas uma família choraria. Assim o prejuízo seria melhor para a sociedade”.

Na época o deputado disse que Maria do Rosário deveria levar os menores para casa.

“Que pra falar uma bobeira dessa era melhor essa 'vaca' calar a boca. (...) Deputada Maria do Rosário do Rio Grande do Sul, enfie a sua língua onde você quiser, mas não fale esse tanto de bobagem não. Sua 'vaca'”, disse. 

Em nota, a deputada Maria do Rosário comemorou o cumprimento da medida por Júlio e afirmou que essa é uma “vitória contra o machismo”. E mais, segundo a deputada, o pedido público de desculpas também é uma vitória contra as notícias falsas que estariam sendo usadas em estratégias contra o mandato dela.

“A retratação é simbólica e representa o resgate de princípios de respeito à dignidade humana que cabe a todos os cidadãos observar. Ainda mais fundamental que sejam observados por quem exerce autoridade pública, que devem ser exemplo positivo para a sociedade.”, afirmou.

Fonte Em.com.br

Servidores estaduais devem ficar atentos ao CNPJ da fonte pagadora no IRPF 2018

Número a ser preenchido na declaração passa a ser o da Secretaria de Estado de Fazenda
ícone de compartilhamento
A Subsecretaria de Gestão da Despesa de Pessoal (SDP) alerta a todos os servidores do Executivo estadual que o CNPJ da fonte pagadora que consta do Informe de Rendimentos 2018 (ano-base 2017) - disponível no Portal do Servidor - foi alterado este ano, em função da transferência da gestão do pagamento de pessoal da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) para a Secretaria de Estado de Fazenda (SEF).

Como o programa do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF), disponibilizado pela Receita Federal do Brasil (RFB), permite a importação dos dados preenchidos na declaração do ano anterior, é necessário, ao se recorrer a este procedimento, ficar atento e alterar o CNPJ da fonte pagadora na atual declaração. Caso o correto preenchimento não seja feito, a declaração cairá na "malha fina" da RFB.

Fonte Agencia Minas Gerais

segunda-feira, 5 de março de 2018

COF AUTORIZA 119 VAGAS PARA CONCURSO DE ESCRIVÃO DA POLÍCIA CIVIL DE MINAS GERAIS

Foi autorizado na tarde de quinta-feira (01/03), na Câmara de Orçamento e Finanças (COF), o concurso público para o preenchimento de 119 (cento e dezenove) vagas para o cargo de escrivão da Polícia Civil de Minas Gerais.

A autorização foi anunciada pelo Deputado Cabo Júlio em suas redes sociais, após muito empenho junto a SEPLAG. O pedido de autorização foi encaminhado à COF ainda no ano passado pela Chefia da Polícia Civil.

O Edital deve ser divulgado nas próximas semanas.

O salário do escrivão é de R$ 4.098,00 (quatro mil e noventa e oito reais.

ESCALA DE PAGAMENTO MÊS DE MARÇO

O Governo de Minas anunciou na tarde desta sexta-feira a escala de pagamento dos servidores públicos estaduais em março:
1ª parcela dia 14 (quarta-feira);
2ª parcela dia 23 (sexta-feira);
3ª parcela dia 29 (quinta-feira).
Os critérios adotados são os seguintes:
- servidores com salário até R$ 3 mil líquidos recebem integralmente na primeira parcela;
- servidores com salário até R$ 6 mil líquidos recebem uma parcela de R$ 3 mil e o restante na segunda parcela;
- servidores com salário acima de R$ 6 mil líquidos recebem R$ 3 mil na primeira parcela, R$ 3 mil na segunda parcela e o restante na terceira parcela.
A Secretaria de Estado da Fazenda ressaltou que a terceira parcela do 13º salário dos trabalhadores será depositada no dia 19 (segunda-feira).

OAB-RJ questiona ações da intervenção federal

Desde que foi aprovado o decreto de intervenção federal no Rio de Janeiro, os holofotes estão voltados a essa parte do país. Apesar de alguns depoimentos já terem sido feitos, muitos são os debates que giram em torno do assunto, como por exemplo, a maneira que militares atuarão nas ruas e qual o plano para acabar com a corrupção dentro da polícia, entre outras questões.

Confira no vídeo:

Fonte: Novotempo.com

Metade dos brasileiros acham que 'bandido bom é bandido morto', diz Ibope

Metade dos brasileiros acredita que 'bandido bom é bandido morto'. Pelo menos esse foi o percentual (50%) que o Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) encontrou em pesquisa que foi divulgada neste domingo (04) pelo colunista Lauro Jardim do jornal O Globo.

A pesquisa foi feita entre os dias 22 e 26 de fevereiro e ouviu 2.002 pessoas em todo o país. Os que "concordam" ou "concordam totalmente" com a morte dos bandidos soma 50%. Aqueles que se opõem alcançam 37% dos brasileiros. De acordo com o Ibope os católicos (52%) mais que os evangélicos (44%) apoiam a tese. Assim como os homens (53%) mais que as mulheres (45%).

Fonte Agência O Globo