Sigam-me!!

Sigam-me!!

Sigam-me

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Equipe de Zema espera herdar dívida do 13º dos servidores de Pimentel

A expectativa da equipe de transição é que nenhuma parcela seja paga este ano
O 13º salário dos cerca de 600 mil servidores de Minas Gerais deve ficar integralmente para o próximo governo, que toma posse em 1º de janeiro, pagar. A cinco dias do encerramento do ano e do mandato do governador Fernando Pimentel (PT), não houve nenhuma sinalização do Executivo nem para o funcionalismo e nem para os responsáveis pela futura gestão sobre o pagamento. Segundo o coordenador da equipe de transição, vereador licenciado Mateus Simões (Novo), a expectativa do governador eleito Romeu Zema (Novo) é assumir a gestão com essa dívida, estimada em R$ 2,45 bilhões. 
“O governo Pimentel não nos deu nenhuma informação, mas não me parece que haja qualquer possibilidade de eles levantarem o dinheiro para o pagamento. E, aparentemente, eles entendem que não devem explicações aos servidores. De nossa parte, resta lamentar e aguardar o início do ano para começarmos a agir de forma a equacionar o problema financeiro do estado”, afirmou Simões nesta quarta-feira (26).

A se confirmar este cenário, o coordenador da equipe de transição de Zema também não sabe dizer como e quando o benefício natalino será creditado na conta dos servidores. Segundo ele, essa avaliação só será possível quando o governo de fato começar.

No ano de 2018, a maior parte do funcionalismo recebeu o 13º em quatro parcelas, creditadas de janeiro a abril. Apenas os integrantes da segurança e de parte da saúde teve os valores pagos em duas vezes, sendo uma em dezembro e outra em janeiro.

Escalado para as conversas, o assessor para relações sindicais do governo Carlos Calazans voltou a prometer ao funcionalismo uma resposta até esta quinta-feira, dia 17. No entanto, o governo chegou a marcar duas reuniões e a data para um comunicado sobre o 13º e até então não informou nem se alguma parcela poderá ser paga este ano.

Na última sexta-feira (21), em reunião marcada para o anúncio do 13º, o governo de Minas informou apenas que iria estender o prazo de pagamento do IPVA dos servidores para abril e confirmou o pagamento da segunda parcela da escala dos salários de dezembro, pelo mês trabalhado em novembro, para a próxima sexta-feira (28).
Acompanhe a escala de dezembro:

Para servidores da Segurança, Hemominas, Fhemig e Ipsemg

Dia 13/12: R$ 2 mil
Dia21/12: R$ 2 mil
Dia 28/12: restante do pagamento.

Para servidores das demais categorias:

Dia 13/12 (quinta-feira) – 1ª parcela de até R$ 2.000,00 para todos os servidores (ativos, inativos e pensionistas);
Dia 28/12 (sexta-feira) – 2ª parcela, o valor restante do salário para todos os servidores (ativos, inativos e pensionistas).

O pagamento do 13º segue indefinido

Fonte Em.com.br

Demonstrativo de dezembro já está disponível na intranet PM

quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

IPVA E 13º DOS SERVIDORES PÚBLICOS PÚBLICOS

Ainda em reunião, representante do governo reafirma pagamento do servidor para o restante no dia 28.

Pagamento do IPVA a partir de abril de 2019. Será editado um decreto para tanto.

Sobre o 13º, de acordo com planilhas, que não foram apresentadas às entidades. Não se confirmou os recursos estavam esperando, como empréstimo e recursos do Governo Federal. Por este motivo, o representante do governo disse que não terá como anunciar o 13º, garantindo novamente que o anunciará semana que vem.

Disse que até o final do governo disse que anuncia o 13º, dependendo da movimentação financeira. Não deu certeza, mas acredita que possa pagar um parcela do 13º semana que vem.

Segundo Calazans, "acredita que no dia 26 ou 27 anuncia que o governo pagará alguma coisa".

Bicalho disse que semana que vem vai receber um recurso federal e pagará uma parte do 13º. O dinheiro tem que entrar. Mas não se sabe o valor e como irá ser pago.

Pediu desculpas novamente.

* Pagamento do salário no dia 28
* Adiado pagamento do IPVA
* 13º semana que vem e anúncio entre 26 e 27 e de uma parcela ser paga ainda neste governo.

Fonte Blog da Renata

O novo Cmt geral da PMMG é CAVEIRA

Na Polícia Militar, o comandante geral será o coronel Giovane Gomes da Silva, o subcomandante será o coronel Marcelo Fernandes e o chefe do Gabinete Militar o coronel Borges.

Fonte Blog da Renata

General da equipe de Moro quer vilas policiais e armas para tropas de elite

Para jogar pesado Eleito com a promessa de respostas rápidas para aliviar a sensação de insegurança da população, Jair Bolsonaro (PSL) receberá um pacote de sugestões do escolhido para formular políticas de segurança pública em seu governo. Integrante da equipe de Sergio Moro no Ministério da Justiça, o general da reserva Guilherme Theophilo vai propor a construção de moradias com financiamento subsidiado para policiais. E quer ampliar o acesso dos estados a armamento pesado, como fuzis.

Inimigo ao lado Theophilo sugere a criação de vilas militares, para dar segurança aos policiais e às suas famílias. “Muitos não chegam fardados em casa porque estão morando ao lado de bandidos”, diz. Ele espera contar com dinheiro de loterias e empréstimos da Caixa Econômica Federal para financiar o projeto.

Na escola Há restrições ao uso de fuzis e outras armas do tipo até para tropas de elite como o Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) do Rio de Janeiro. O general quer aliviar exigências para esses grupos nas PMs e nas polícias civis, para que aprendam a usar armamento pesado desde o treinamento.

Escolha as armas Para especialistas, inteligência e planejamento ajudam mais no combate ao crime do que o potencial bélico. “A polícia civil precisa investigar com competência, e fuzis não ajudam nessa atividade”, diz o coronel José Vicente da Silva, antecessor de Theophilo no ministério.

Todos juntos O secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela, apresentará a Moro um plano para promover cooperação entre as várias polícias, ampliar o controle de veículos em rodovias federais e criar um banco de dados nacional sobre organizações criminosas.

Água mole… Após jantar com o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, há três semanas, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) foi procurado pelo empresário Paulo Marinho, seu velho conhecido e suplente do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

… em pedra dura Aliados de Renan, que atua para voltar a presidir o Senado a partir de fevereiro e estava internado para tratar uma pneumonia, viram no gesto do empresário sinal de que terá condições de quebrar as resistências da família Bolsonaro a seu nome.

Os pesos… Dois especialistas que examinaram números dos acordos de leniência fechados pela CGU (Controladoria-Geral da União) com a Odebrecht e a Andrade Gutierrez dizem que o órgão de controle interno tem se mostrado flexível nas negociações com empresas atingidas pela Lava Jato.

… e as medidas Na terça (19), a CGU informou que a Andrade Gutierrez admitiu ter pago R$ 328 milhões em propina, o equivalente a 37% dos lucros indevidos que obteve no setor público. A Odebrecht, que assinou acordo com o governo em julho, admitiu pagamentos ilegais de R$ 900 milhões, ou 69% dos seus ganhos.

Mesma régua Para os especialistas, a discrepância sugere que, ao analisar as informações das empreiteiras, a CGU tem procurado ajustar os valores à capacidade econômica das empresas para não asfixiá-las com as penalidades. Segundo a CGU, a metodologia adotada é igual para todas.

Dedo no gatilho Os tucanos se dividiram diante do pedido do deputado Wherles Rocha (AC) para que o PSDB expulse o senador e deputado eleito Aécio Neves (MG), que foi alvo de ação policial novamente na última semana. A ala favorável à punição argumenta que o partido deve resposta rápida aos eleitores.

Sem pressa Aliados do presidente da sigla, Geraldo Alckmin (SP), dizem que não há motivo para afobação. Lembram que Aécio ainda está se defendendo na Justiça e preveem que as pressões diminuirão com as festas de fim de ano e o recesso parlamentar.


Fonte A Folha

Associações de magistrados e do MP querem ampliar auxílio-moradia

Para representantes do setor, a brecha que possibilitaria a mudança foi criada pelo próprio texto que restringiu o pagamento do auxílio apenas a casos de deslocamento, mediante comprovante

Apesar das novas regras de concessão do auxílio-moradia, associações de magistrados e integrantes do Ministério Público projetam retomar a discussão do tema já no início de 2019, na tentativa de ampliar outra vez o número de beneficiados. Para representantes do setor, a brecha que possibilitaria a mudança foi criada pelo próprio texto que restringiu o pagamento do auxílio apenas a casos de deslocamento, mediante comprovante. Ele foi aprovado pelos conselhos Nacional de Justiça (CNJ) e Nacional do Ministério Público (CNMP) na semana passada.

Um artigo incluído horas antes da votação estabelece que as novas regras terão validade até que seja aprovada uma "resolução conjunta" entre CNJ e CNMP, o que pode flexibilizar os critérios para o pagamento do benefício. "O artigo 6 abre espaço justamente para que seja revisado, com uma discussão mais aprofundada", afirmou o presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Fernando Mendes.

Essa tentativa acontece em meio à insatisfação das associações com as novas regras, que reclamam da forma como o tema tramitou nos conselhos. As resoluções foram votadas pouco menos de um mês após o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), derrubar as liminares de 2014 que garantiam o benefício generalizado, em troca do reajuste de 16,38% para o salário dos ministros do STF - base para o restante do funcionalismo público

'Vontade'

"O CNJ impôs a sua vontade. Não se tratou de nenhuma negociação. O CNMP, infelizmente, acatou sem nenhuma necessidade. O conselho recebeu o texto e dois minutos depois estava votando", disse José Robalinho, presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). Robalinho se refere ao fato de o CNMP ter aprovado resolução igual a do CNJ, segundo ele, sem espaço para uma reflexão.

Para as associações, as regras deveriam prever, por exemplo, o pagamento do benefício quando o magistrado mora em localidades de difícil acesso ou que sejam onerosas. Se enquadrariam nesses casos - previstos na lei que regulamenta o Ministério Público - locais de fronteira, como a Região Norte do País. "Acabou não sendo objeto de discussão naquele momento. Mas nessa possibilidade de revisão, se está na legislação do MP (os outros casos de recebimento), também tem de se aplicar à magistratura", disse Mendes.

Ele admite que haverá resistência a novo debate, mas diz que as discussões devem ser feitas de forma transparente. "Não é que o juiz está querendo simplesmente restabelecer o auxílio-moradia, é que o auxílio existe em outras situações. Por que o servidor tem direito e o juiz não?"

Fonte Estadão

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Governo adia de novo definição de escala do 13º salário dos servidores

A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado da Fazenda

Depois de adiar informação sobre a escala de pagamento do 13º para os servidores públicos por mais uma vez, o governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado da Fazenda, disparou e-mail para sindicatos convocando os “membros titulares da comissão de acompanhamento de folha pessoal” para reunião, que será realizada às 14h, desta sexta-feira (21), na qual será anunciada a data da escala de pagamento. A convocação ocorreu na tarde desta quinta-feira (20)

A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado da Fazenda.

Fonte O Tempo

Liminar para retirada de esposas da entrada do Batalhão Rotam

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS
COMARCA DE BELO HORIZONTE
4ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias da Comarca de Belo Horizonte
Avenida Raja Gabaglia, 1753, Luxemburgo, BELO HORIZONTE - MG - CEP: 30380-900
PROCESSO Nº 5180012-82.2018.8.13.0024
CLASSE: TUTELA ANTECIPADA ANTECEDENTE (12135)
ASSUNTO: [Esbulho / Turbação / Ameaça]
REQUERENTE: ESTADO DE MINAS GERAIS
REQUERIDO:
GOMES, DEMAIS LIDERANÇAS DO MOVIMENTO
Vistos etc.
Num. 58768910 - Pág. 1 Assinado eletronicamente por: MAURO PENA ROCHA - 19/12/2018 18:38:37
Trata-se de pedido de tutela antecipada em caráter antecedente ajuizada pelo ESTADO DE MINAS
GERAIS em face de  afirmando que as requeridas se encontram em frente
ao Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas obstruindo a passagem dos militares da ROTAM. Disse
que dentro do batalhão da ROTAM existe um posto de combustível que se destina ao abastecimento de
viaturas, ambulâncias e veículos de vários órgãos de prestação de serviço público de emergência.
Requereu a concessão da liminar de reintegração e posterior manutenção imediata da posse do Batalhão
ROTAM, mediante a retirada pacífica das pessoas que ali fazem piquete, e na eventualidade pelo uso da
força policial, com a fixação de multa por descumprimento no valor de R$50.000,00, por hora.
DECIDO:
Nos termos do artigo 305 do CPC, a petição inicial que visa à prestação de tutela cautelar antecedente
indicará a lide e seu fundamento, a exposição sumária dos fatos do direito que objetiva assegurar e o
perigo de dano ou o risco ao resultado útil do processo.
Extrai-se dos autos que mulheres de militares, dentre as quais as rés, participam de uma manifestação por
questões salariais e no intuito de gerar visibilidade para as reivindicações da categoria dos militares, estão
obstruindo a passagem de policiais militares se posicionando em frente aos portões do batalhão da
ROTAM com faixas, cartazes e barricadas feitas com galhos de árvores.
Apesar da manifestação pacífica ser permitida pela Constituição da República, no presente caso
verifica-se que aobstrução do serviço prestado pelos policiais militares representa grave risco para a
segurança pública e para a manutenção da ordem.
Outrossim, ressalte-se que a existência de posto de combustíveis dentro do referido Batalhão, com
evidente risco do não abastecimento de viaturas e ambulâncias, agrava ainda mais a situação.
Assim, haja vista a essencialidade do serviço prestado, bem como o risco de desabastecimento das
viaturas e ambulâncias que utilizam o posto do Batalhão, entendo encontrarem-se presentes os requisitos
para o deferimento da medida conforme pleiteada.
ANTE AO EXPOSTO, defiro a tutela antecipada em caráter antecedente para determinar que as
requeridas e demais lideranças desobstruam, imediatamente, as entradas do Batalhão ROTAM, sob pena
do uso de força policial, que fica desde já autorizada, caso necessário. A força policial, caso necessária,
deverá ser utilizada de forma moderada, proporcional e com as cautelas necessárias que a situação impõe.
Ficam as requeridas advertidas de que o exercício do direito de manifestação acima dos limites impostos
pelo seu fim, caracteriza ilícito civil previsto no artigo 187 do Código Civil, além de poder caracterizar,
em tese, os crimes de impedir e obstruir serviços de utilidade pública e incitação ao crime.
Num. 58768910 - Pág. 2 Assinado eletronicamente por: MAURO PENA ROCHA - 19/12/2018 18:38:37
Intimem-se com urgência da presente decisão e citem-se as requeridas para no prazo de cinco dias
apresentarem defesa e indicarem as provas que pretendem produzir.
Após, remetam-se os autos ao MP.
Defiro a guarda dos CD´s apresentados com a inicial no cofre da secretaria
Cumpra-se.


Fonte Blog da Renata

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Governo transforma Natal dos servidores de Minas em pesadelo: 'Não tem como fazer ceia'


Faltam sete dias para o Natal e o clima entre servidores do Estado é de tristeza, decepção, indignação e incerteza. Com salários parcelados, atrasados e sem previsão para o pagamento do 13º, muitos estão atolados em dívidas e não têm dinheiro sequer para fazer uma ceia básica. O pagamento da segunda parcela dos salários está previsto somente para o dia 28. 

A Rádio Itatiaia conversou com vários servidores. Alguns chegam a chorar. “Quando a gente tem uma família completa, tudo passa. Eu, infelizmente, perdi meu marido. Só tenho meu salário. Ano passado não pude comprar um chester para minha casa”, diz uma servidora aos prantos.

“O nosso Natal não vai existir. Vi você falar com a colega em empréstimo. Não tem como. O banco não está emprestando mais. Já está todo mundo afundado em empréstimos”, diz outra servidora.

“Não vai ter Natal, porque não tem como você arcar com a responsabilidade. Não tem como fazer a ceia de Natal. Não tem 13º, o dinheiro é muito pouco", reforça a colega.

Nessa segunda-feira (17) teve protesto de várias categorias em Belo Horizonte, após o governo cancelar a reunião para definir o assunto; o encontro - que estava marcado para a última sexta-feira - deve ocorrer nesta quarta-feira (18).

Profissionais da saúde, por exemplo, que já estão em greve por tempo indeterminado, fizeram um ato para cobrar do governo um posicionamento sobre a data do pagamento do 13º.

O diretor do sindicato que representa os servidores da Educação em Minas, Paulo Henrique Fonseca, critica a falta de diálogo do governo do estado com a categoria, e não descarta uma possibilidade de greve.

O diretor jurídico da associação dos policiais e bombeiros de Minas, Heder Martins de Oliveira, teme não receber o restante do salário.

Em nota, o governo de Minas informou que a escala de pagamento é feita de acordo com o fluxo de caixa do estado e as previsões de receitas.


Parentes de militares fazem protesto em frente à uma companhia de polícia do centro de BH


Eles reivindicam o fim do parcelamento dos salários e o pagamento do 13º. Nesta segunda-feira, mulheres de policiais também se manifestaram no 1º Batalhão.

Por G1 Minas — — Belo Horizonte

Parentes de militares de Minas Gerais reivindicam pagamento do 13º salário — Foto: Marcella Gasparete

Cerca de dez mulheres protestavam em frente à 6ª Companhia da Polícia Militar, no Centro de Belo Horizonte, nesta terça-feira (18). Elas são parentes de bombeiros e policiais. As manifestantes reivindicam o fim do parcelamento dos vencimentos dos servidores, além do pagamento do 13º salário que ainda não foi anunciado pelo governo de Minas Gerais.

De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Militar, apesar do protesto, as operações não foram afetadas. Nesta segunda-feira (17), mulheres de militares bloquearam a entrada de viaturas no 1º Batalhão, no bairro Santa Efigênia, na Região Leste da cidade. Elas deixaram o local durante a noite.

Mulheres de policiais militares reivindicam pagamento de 13º salário em Minas Gerais — Foto: Marcella Gasparete

As mulheres disseram que estão fazendo os protestos porque o direito de greve de servidores públicos de órgãos de segurança é inconstitucional.

A Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais (Aspra) disse que as manifestações são isoladas. A entidade aguarda anúncio do governo do estado sobre o 13º salário previsto para esta quarta-feira (19).

Greve

Uma greve por tempo indeterminadoatinge dez unidades de saúde em Belo Horizonte desde esta segunda-feira (17), segundo a Associação Sindical dos Trabalhadores em Hospitais de Minas Gerais (Asthemg).

A categoria diz que mantém o mínimo de funcionários trabalhando como determina a lei, mas com o número reduzido, o tempo de espera de quem busca uma consulta, por exemplo, pode até triplicar. A Fundação Hospital do Estado de Minas Gerais (Fhemig) confirmou que há impacto no atendimento.

Uma reunião entre o governo e os servidores foi realizada nesta segunda-feira, mas o resultado não foi divulgado. Há a previsão de um encontro entre o sindicato e o futuro secretário de Estado de Saúde, Wagner Eduardo Ferreira, nesta quarta-feira (19) para discutir a situação da categoria. Uma assembleia marcada para quinta-feira (20) deve decidir se a mobilização vai continuar


13° Ainda sem data

De acordo com a SEPLAG, por enquanto não há informação sobre uma possível data de pagamento do 13º.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Cerimônia de exclusão de policiais militares no QG da corporação em 1959.


Era uma cerimônia trimestral e que contava com cerca de 06 a 08  excluídos em média.
Exclusivo para policiais militares, os excluídos recitavam novamente o juramento bradado na inclusão e tinham suas fardas e equipamentos devolvidos.
Em 1962, dois excluídos suicidaram-se no mês seguinte.
Recebi e estou repassando. Achei interessante pelo valor histórico e como os procedimentos eram diferentes.

Fonte Blog da Renata

Zema projeta pressionar STF por redução de carga horária e salários do funcionalismo público


O governador eleito em Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), disse na tarde desta quinta-feira (13) que, a partir de janeiro, os novos governadores farão uma frente de pressão para que o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Congresso Nacional adotem medidas para aliviar as contas dos Estados endividados, como o mineiro.

Zema esteve em São Paulo, onde participou de um encontro com o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, e o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida. Segundo o futuro mandatário, será realizada pressão no STF para que entre em discussão a Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) que permite a redução de carga horária e dos salários do funcionalismo público.

A Adin era de responsabilidade do ministro Teori Zavaski, entretanto, desde sua morte em um acidente aéreo, a medida está em mãos do ministro do STF Alexandre de Moraes e não ganhou andamento na Casa.

“Esta Adin é uma questão que possibilita aos Estados reduzirem salários e carga horária, o que ajudaria a aliviar as contas públicas, mas que ainda não foi analisada”, disse Zema ao portal Terra.

Ainda ao veículo de notícias, Zema ressaltou que haverá articulação no Congresso para articular medidas que desvinculem os aumentos dos salários dos funcionalismos estaduais dos reajustes salariais dos servidores federais.

“Seria uma medida muito bem-vinda pelos Estados porque eles têm tido hoje despesas que sobem de elevador e receitas que têm subido pela escada”, comparou Zema.

“Então, ano a ano esse descasamento entre despesas e receitas tem se aprofundado e já temos Estados, como Minas Gerais, em que todo o funcionalismo do Poder Executivo já está recebendo salários de forma parcelada. Não receberam o 13º e os repasses constitucionais para as prefeituras estão com atrasos em cerca de R$ 10 bilhões. E esta situação só tende a se agravar se não houver mudanças”, complementou.

Procurado pelo BHAZ, o futuro governador mineiro não quis comentar as falas dadas em São Paulo.

Fonte BHAZ

13° Salario!!!!

Hoje termina o prazo para que estado manifeste para a justiça sobre o pagamento do 13° para funcionários do Estado.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Salário deve ser congelado para evitar demissões, diz Romeu Zema

Governador eleito afirmou que é preciso tomar medidas amargas para impedir o colapso do Estado; estudo indica corte de 20% dos comissionados e dispensa de efetivos
Zema afirmou que não existe razoabilidade de conceder reajustes reais para qualquer categoria de servidores nos próximos anos de sua gestão.

Policiais de MG descontentes com atraso dos salários ameaçam greve


Integrantes das polícias civil e militar garantem que vão reagir ao anúncio do governo de Minas Gerais sobre pagar maior parte apenas após o Natal

O descontentamento com a escala de pagamento dos salários de dezembro do funcionalismo estadual e a ausência de informações sobre quando o 13º salário será pago podem iniciar uma série de paralisações nos servidores da segurança pública. Nesta segunda-feira (10), os policiais civis se reúnem para discutir mobilização da categoria, enquanto os militares emitiram uma nota de repúdio prometendo uma resposta à postura do governo de Minas Gerais e não descartam a realização de uma greve.

A escala de pagamento foi anunciada na última sexta-feira (7) com a redução do valor pago na primeira parcela. Antes, os servidores recebiam R$ 3.000, agora, vão receber R$ 2.000. O restante do salário só vai ser quitado no dia 28, portanto, depois do Natal. Além disso, o governo não apresentou nenhuma novidade sobre o 13º salário.

Diante dessa situação, os policiais civis marcaram a reunião, em frente ao Departamento de Trânsito de Minas Gerais, no bairro Gameleira, região Oeste, para discutir quais serão as ações tomadas pela categoria para pressionar o governo a fazer o pagamento do benefício de fim de ano. A convocação foi realizada por sete entidades de classe ligadas à corporação, que vão de representantes dos policiais aos servidores administrativos da Polícia Civil. Por enquanto a mobilização será apenas um protesto, sem paralisação.

Já os policiais e bombeiros militares afirmam que vão reagir de forma firme para garantir o pagamento do 13º. "Às vésperas do Natal, os militares são surpreendidos com mais um 'presente de grego', agora ao fim do atual 'desgoverno' de Minas, que confirma o desrespeito com que a atual gestão trata a pasta da Segurança Pública e os seus profissionais. Fomos negativamente surpreendidos com a divulgação da escala de pagamento deste mês, que nos apresentou um cenário ainda pior: a primeira parcela a ser paga, que antes era de R$ 3.000 passa a ser de R$ 2.000, e o restante do nosso salário será pago somente no fim do mês (dia 28/12). Soma-se a isso a não divulgação da data de quitação do 13º salário. O que nos está sendo negado é um direito conquistado e também a oportunidade de celebrarmos as festas de fim de ano ao lado de nossas famílias, posto que não haverá recursos", afirmou o presidente da Associação de Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais (Aspra), sargento Marco Antônio Bahia, por meio de nota.

Ele afirma que a possibilidade de greve não está descartada. "Nesse contexto, a Aspra e demais associações representativas da classe se reunirão para adotar medidas mais agressivas em reação à postura do governador do estado. A tropa também dará uma resposta firme e não descartamos a paralisação dos policiais e bombeiros militares até o pagamento do 13º salário", concluiu.


Fonte Super

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

PUBLICADO NOVO REAJUSTE PARA SERVIDORES DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE MINAS GERAIS

Enquanto os servidores do Poder Executivo amargam a indefinição sobre o pagamento do 13º e a data do pagamento das parcelas dos salários do mês de dezembro, os servidores da Assembleia Legislativa tiveram aprovado o segundo reajuste este ano de 2018. O reajuste foi publicado ontem (29/11) no Diário do Executivo.

Trata-se da revisão anual dos vencimentos com reajuste de 2,68% (dois vírgula sessenta e oito por cento), pela perda inflacionária, retroativo ao mês de abril desse ano.

Os servidores do Poder Legislativo aguardam o pagamento integral do salário e do 13º amanhã (01/12), já que o pagamento voltou a ser feito no primeiro dia do mês desde outubro.

Importante lembrar que tanto o Poder Legislativo como o Poder Judiciário possuem verbas próprias (duodécimo), repassado pelo Poder Executivo todo dia 20 de cada mês, conforme previsão Constitucional. Portanto, as despesas decorrentes do reajuste do salário ocorrerão à conta de recursos orçamentários da Assembleia Legislativa.

Confirma que a Lei que concedeu o reajuste:




Fonte Policia Pela Ordem

*Atenção policiais militares de Minas Gerais, seus direitos estão sendo negociados em troca de cargo*

*Companheiros da Polícia Militar, boa noite, aqui quem fala é o Mendonça.*

Hoje eu vim aqui dá uma notícia muito triste.

Nós estamos sendo traídos por cinco coronéis. Esses cinco coronéis procuraram a equipe de transição do Zema e ofereceram leiloar os nossos direitos em troca de que sejam nomeados comandante-geral.

*Estamos vendo um absurdo desses cinco coronéis oferecendo a redução das pensões para 70%, o aumento do tempo de serviço, o fim da promoção trintenaria* para agradar a equipe do Zema e serem nomeados comandantes Gerais.
*TIVESSEM ESSES HOMENS HONRA* jamais eles iriam procurar políticos, empresários, jornalistas e se oferecerem para cargo de comandante-geral.
*Comandante-geral tem que ser escolhido e não ficar se oferecendo .*

É lamentável que nós tenhamos coronéis com esse tipo de procedimento, mas nós temos, cinco já tiveram essa atitude.

O pessoal da equipe de transição do governo Zema está morrendo de rir de ver as pessoas se oferecendo para nos trair , isso é o fim do mundo .

Mas eu queria deixar um recado para o Zema. *Nomeie esses cinco traidores e eu vou denunciar o acordo que vocês fizeram.*

Senhor Zema, *tropa de militar não aceita traidor*, não aceita.

_O senhor tenha juízo e escolha um homem de Honra e de ética, nós temos essas pessoas no alto comando ._

_Escolha um homem de Honra e de ética e não um que foi se oferecer vilmente para vossa excelência._

Quem se oferece é no mínimo um despreparado ética e moralmente.

Para esses 5 coronéis fica uma sugestão; *não tenham a desfaçatez de prosseguir nesse projeto, porque os senhores serão desmascarados.*

Eu só não estou citando ainda o nome dos 5, porque eles sabem quem são eles, sabem quem são e todo alto-comando sabe quem são as pessoas que estão batendo na porta do *jornalista Eduardo Costa*, batendo na porta de político, de empresário mendigando para ser comandante-geral .

Um cara desses se assumir o comando geral não terá moral nenhuma para administrar a polícia e o Governador Zema já começará mal, porque quem trai a tropa te trair também Zema.

Não confie nesses  sacripantas , escolha alguém de *Honra* para governar essa polícia militar e esses 5 coronéis os senhores sabem quem são, os senhores são uns *canalhas, são homens sem honra.*

Coronéis do PT tentam se infiltrar no governo Zema negociando cargos em troca eles prometem segurar a tropa e cortar benefícios da categoria... Quem serão os traidores...????

Nós estamos sendo traídos por cinco coronéis. Esses cinco coronéis procuraram a equipe de transição do Zema e ofereceram leiloar os nossos direitos em troca de que sejam nomeados comandante-geral.
*Estamos vendo um absurdo desses cinco coronéis oferecendo a redução das pensões para 70%, o aumento do tempo de serviço, o fim da promoção trintenaria* para agradar a equipe do Zema e serem nomeados comandantes Gerais.
*TIVESSEM ESSES HOMENS HONRA* jamais eles iriam procurar políticos, empresários, jornalistas e se oferecerem para cargo de comandante-geral.          *Comandante-geral tem que ser escolhido e não ficar se oferecendo .*
É lamentável que nós tenhamos coronéis com esse tipo de procedimento, mas nós temos, cinco já tiveram essa atitude.
O pessoal da equipe de transição do governo Zema está morrendo de rir de ver as pessoas se oferecendo para nos trair , isso é o fim do mundo .

Mas eu queria deixar um recado para o Zema. *Nomeie esses cinco traidores e eu vou denunciar o acordo que vocês fizeram.*

Senhor Zema, *tropa de militar não aceita traidor*, não aceita.

_O senhor tenha juízo e escolha um homem de Honra e de ética, nós temos essas pessoas no alto comando ._

_Escolha um homem de Honra e de ética e não um que foi se oferecer vilmente para vossa excelência._

Quem se oferece é no mínimo um despreparado ética e moralmente.

Para esses 5 coronéis fica uma sugestão; *não tenham a desfaçatez de prosseguir nesse projeto, porque os senhores serão desmascarados.*
Eu só não estou citando ainda o nome dos 5, porque eles sabem quem são eles, sabem quem são e todo alto-comando sabe quem são as pessoas que estão batendo na porta do *jornalista Eduardo Costa*, batendo na porta de político, de empresário mendigando para ser comandante-geral .

Um cara desses se assumir o comando geral não terá moral nenhuma para administrar a polícia e o Governador Zema já começará mal, porque quem trai a tropa te trair também Zema.

Não confie nesses  sacripantas , escolha alguém de *Honra* para governar essa polícia militar e esses 5 coronéis os senhores sabem quem são, os senhores são uns *canalhas, são homens sem honra.*

Domingos Sávio de *Mendonça*

Ten Cel PMMG QOR / ADVOGADO

Fonte Blog da Renata